Quando estivemos em Mendoza reservamos um dia para conhecer o Parque Provincial do Aconcágua, de onde se tem a oportunidade de ver a parede sul e o cume da montanha mais alta da Cordilheira dos Andes, da Argentina e das Américas. Um passeio para os amantes de paisagens naturais, geografia, geologia e história.

Parque Aconcágua

A viagem foi programada para aproveitar os vinhos de Mendoza, mas não podíamos perder a oportunidade de ver de perto o pico do Aconcágua a 6.659 metros do nível do mar. A montanha mais alta depois dos Himalaias!

+ Veja aqui todos os meus artigos da Argentina

Day tour ao Aconcágua

O tour que leva até ao Aconcágua chama-se “Alta Montanha” e passa por diversas atrações como o lago Potrerillos, o pequeno povo andino de Uspallata, a “Puente del Inca” e obviamente o Monte Aconcágua. No verão o passeio pode chegar até o Cristo de Los Andes. É um passeio de um dia inteiro, e inclui duas paradas em restaurantes, a primeira na ida para um café da manhã e a segunda na volta que é o almoço numa restaurante regional.

Parque Aconcágua

O Parque do Aconcágua fica a mais ou menos 230 km do centro de Mendoza e o trajeto é feito pela Rota Internacional 07 que liga a Argentina ao Chile. Nós escolhemos a empresa Trout and Wine que faz passeios para grupos pequenos. Eles nos pegaram cedo no hotel e seguimos estrada ao lado da trilha da antiga ferrovia transandina, que cruza três cadeias de montanhas.

Seguimos na direção sudoeste pela Ruta Provincial 86, podendo avistar a maravilhosa do Cordón del Plata, principal fonte de água de Mendoza e do Dique Potrerillos, que é abastecido com água de degelo que vem através do rio Mendoza para fornecer e irrigar a zona central de Mendoza.

Parque Aconcágua

Seguimos por esse caminho, passando por túneis e pontes até chegar ao vilarejo de Uspalllata. Depois paramos no Puente del Inca, uma ponte natural e complexo de fontes termais. De volta à estrada, logo a frente chegamos ao Parque Provincial Aconcágua.

Puente del Inca

A 180 km de Mendoza, e a 2720 metros acima do mar, está a Puente del Inca que é uma formação rochosa como uma ponte natural sobre o Rio Las Cuevas. O rio é originado de uma fonte de água termal composta por sais de enxofre, cloreto de sódio, alcalinas, arsénico, bicarbonato e cálcio, com águas quentes em temperaturas que variam entre 33°C a 38°C.

Parque Aconcágua

No entorno há um povoado que se formou nesse local místico. Conta a lenda que existia ali uma tribo inca que precisava salvar um integrante de uma doença e, para isso, tinha de atravessar uma ponte que nunca havia sido tocada antes. Segundo a história, ao passar para o outro lado, o inca foi curado.

Parque Aconcágua

Embaixo da ponte, por onde ainda passa um riacho, estão as ruínas do Hotel Puente Del Inca e um prédio onde funcionou uma termas, com sauna e banhos quentes de 1925, e que foi destruído em 1965 por uma avalanche. Só restou uma capela colonial que permanece intacta até hoje, até mesmo a trilha do trem foi danificada, interrompendo a circulação de trens.

+ Veja aqui como foi minha visita às vinícolas do Vale de Uco em Mendoza

Parque Provincial do Aconcágua

Entramos no Parque Aconcágua, onde fizemos uma caminhada curta até a Lagoa de Horcones  a 2.950m de onde se pode avistar a muralha sul do Aconcágua com 6.961 metros de altitude. O parque tem 71 mil hectares de fauna e flora preservada, sítios arqueológicos e locais de conservação de recursos hídricos.

Parque Aconcágua

A paisagem é semidesértica, estava frio e ventava muito. Visitamos o parque em Abril mas já havia neve no topo das montanhas. Aliais, lá faz frio o ano inteiro e sempre com fortes rajadas de vento. Leve sempre casaco. No inverno pode nevar intensamente, e até interromper o trânsito. A melhor época para ir é primavera, verão e outono.

Parque Aconcágua

A montanha mais alta do hemisfério ocidental atrai um público que ama escalada e trekkings. O monte é muito procurado por alpinistas do mundo inteiro – durante a temporada de verão que vai de dezembro a março. Existem várias modalidades de passeios pra você fazer, dependendo do seu espírito aventureiro e preparo físico. Mas é importante saber que existem diferentes níveis de dificuldade, necessidade de contratação de guias especializados e seguro de vida.

De acordo com os montanhistas, a face norte é a rota mais fácil, sem grandes dificuldades técnicas. Mesmo assim não se aconselha enfrentá-la sem os mínimos conhecimentos de montanhismo por conta dos efeitos da altitude. A pressão atmosférica é de 40% do nível do mar e as condições meteorológicas podem mudar drasticamente. Há diversas opções de turismo de aventura no Parque Aconcágua. Se tiver interesse em outros passeios, veja mais no site oficial do Parque Nacional do Aconcágua em Mendoza.

Parque Aconcágua

Espero que tenham gostado das dicas de um dia aos pés da montanha mais alto do hemisfério ocidental. Caso tenham alguma dúvida, deixe um comentário aqui abaixo que terei prazer em ajudar.

Obrigada pela visita, volte sempre!

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.