Templo Branco

O Templo Branco ou White Temple em Chiang Rai é um dos principais templos da Tailândia, e chama atenção por seu surrealismo. É uma construção moderna e bem diferente de todos os outros templos que vocês encontrarão no sudeste asiático.

Foi idealizado pelo artista contemporâneo tailandês Charlemchai Kositpipat. Ele comprou um antigo templo budista chamado Wat Rong Khun para restaurá-lo usando seu próprio dinheiro e a partir das próprias ideias, concepções e visões de mundo. Nunca aceitou doação de grandes valores para ser livre em criar de acordo com sua inspiração.

Começou a ser erguido na década de 1990 e, pelo projeto original, só será concluído em 2070 com nove prédios no total. Se já é bonito agora, fico imaginando como será daqui a 50 anos!

Não há um estilo característico, apesar de ter elementos da arquitetura Lanna do norte tailandês. No final, o artista criou o seu próprio estilo.

Simbologia

O templo branco é uma construção cheia de detalhes, com elementos das tradições budistas com referências inusitadas da cultura pop ocidental. Tudo possui um significado para que seus visitantes reflitam sobre os ensinamentos budistas. Eles mostram o caminho para fugir das tentações mundanas, da mente egoísta, praticar o desapego e focar na elevação da mente.

O edifício central do templo é todo branco para representar a pureza e o céu. Seus detalhes reluzentes, milhares de espelhos que há no revestimento externo, simbolizam a sabedoria do Buda que brilha sobre a Terra.

Aliás, para o artista, o templo branco é um presente de Buda, onde as pessoas podem aprender sobre budismo, meditar e buscar a paz.

O Inferno

Lá também tem a representação do inferno expressada pela Ponte do Ciclo do Renascimento que você terá que atravessar para chegar ao prédio principal. Ela fica sobre uma espécie de abismo do inferno, com esculturas de mãos saindo das profundezas, parecendo que vão te pegar. Ou estão desesperadas pedindo ajuda, perdidas entre o mal e as trevas. Essa área representa o sofrimento humano e o inferno.

A ponte, que simboliza a reencarnação, é decorada por dois Kinnaree, criaturas mitológicas budistas, meio homem, meio pássaro. Antes de atravessá-la, existe dor e sofrimento, mas se conseguir dominar o ego, a cobiça e apego material terás entrada no céu.

Há imagens de criaturas mitológicas, aliens e demônios por todos os lados. Parece cenário de pesadelo, só que no céu, se isso é possível…

O Céu

Dizem que a ponte faz parte do ciclo do renascimento, porque vai em direção ao paraíso, à felicidade, prova de que você superou as tentações mundanas. Ao final da ponte estão os Rahus, criaturas mitológicas que decidem se você vai entrar ou não no céu.

Após a ponte, está o Portão do Paraíso, um dos pontos mais impressionante do templo.

Há um outro prédio todo dourado também, como muitos dos templos budistas (onde ficam os banheiros) simbolizando a prosperidade.

O Interior

Dentro do templo branco você realmente vai entender o quanto ele é inusitado, cheio de pinturas coloridas e divertidas. O artista disse que o interior do templo representa a mente humana e toda sua complexidade.

Como não é permitido tirar fotos no seu interior, mesmo relatando aqui, acho que será uma surpresa para você.

Nas paredes estão pintados à mão vários ícones do mundo pop e personagens do cinema americano em imagens apocalípticas e cenas de tragédias, numa crítica à falta de paz do estilo de vida ocidental. Lá estão Michael Jackson, Batman, Hello Kitty, Elvis, Minions, Homem Aranha, entre outros personagens dos quadrinhos e do cinema.

Fala sério… quem esperaria encontrar o Kung Fu Panda, o Harry Potter e o Superman dentro do templo? Osama Bin Laden e George W. Bush também estão lá, assim como ilustrações das Torres Gêmeas de NY, queimando após o ataque terrorista de 11 de setembro. O artista quer mostrar que existe o mal e nenhum super heroi é capaz de nos salvar.

Buda é a salvação retratado no altar do templo, onde pessoas estão voando em nuvens em direção ao paraíso.

Para observar seus detalhes com atenção, é preciso entrar várias vezes no local já que não é permitido parar, nem voltar.

Como se vestir

Não é permitido roupas curtas. As regras quanto à vestimenta são as mesmas dos demais templos da Tailândia. Ombros e joelhos devem estar cobertos e é preciso tirar os sapatos para entrar nos templos. Existe um stand que empresta um sari às pessoas que estão indevidamente vestidas.

Como chegar ao Templo Branco

O templo fica aberto das 8h às 18h. Existem várias formas de chegar lá como empresas de turismo, taxis, ônibus e vans. De Chiang Mai a Chiang Rai são a três horas de viagem.

Nós fomos numa day trip com a Travel Hub, saindo de Chiang Mai com destino ao Golden Triangle, a tríplice fronteira da Tailândia, Laos e Myanmar. No caminho passamos tambem pela tribo das mulheres girafas.

Se você já estiver em Chiang Rai dá para conseguir um tuk-tuk que te leve você até o templo branco. Ele fica a 13 km a sudoeste de Chiang Rai, seguindo pela rodovia Phahon Yothin, próximo ao Km 816.

Não existe um melhor horário, sempre haverá muitos turistas (mas dá para arrumar uns cantinhos para tirar foto sem ninguém). 

Gostou do post? Tem alguma dúvida? Deixa um comentário aqui!

Viagens e Outras Historias

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *