Se você já leu as primeiras dicas no outro artigo, aqui vou falar tudo sobre o que fazer em Alter do Chão. Fui na época da seca do rio, quando as praias começam a aparecer, e amei demais! Conto aqui meu roteiro e passeios.

Alter do Chão

Ilha do Amor

A Ilha do Amor é sem dúvida o cartão postal de lá, uma coisa que você não pode deixar o que fazer em Alter do Chão! A ilha trata-se de um banco de areia do Rio Tapajós que fica bem em frente à praça principal. Embora seja a praia mais famosa e a mais visitada pelos turistas, para mim não é a mais bonita. Isso porque está cheia de quiosques e pessoas. Gostei mais das praias afastadas e desertas que conto a seguir. Para chegar lá é só pegar um botinho chamado “catraia” no pequeno cais em frente a praça principal. Custa apenas R$ 5 para até quatro pessoas. Dependendo da época dá para atravessar à pé com a água no joelho (novembro).

Ilha do Amor Alter do Chão

Uma boa pedida é parar na Ilha do Amor no final do dia, depois do passeio de barco, para o almoço e o por do sol. Diversos quiosques servem peixes da região, como o pirarucu ou tucunaré na brasa. Ali também se alugam caiaques e SUP.

Floresta Encantada

Esse foi provavelmente o local que mais me encantou de toda a viagem. Para conhecer a Floresta Encantada você deve ir até Caranazal, na área do lago verde, que fica a 3km do centro de Alter. Eu fui de lanchinha saindo do píer, mas é possível ir de bike ou a pé.

O passeio é feito numa canoa que navega por ‘vielas’ da floresta parcialmente submersa. O encanto vai pelas águas cristalinas que refletem raízes e copas de árvores como um espelho. Um lugar de paisagens exuberantes, para estar em contato total com a mais pura natureza. De uma paz absurda! De vez em quando o silêncio é quebrado apenas pelo canto dos pássaros que sobrevoavam ao nosso redor.

Foi maravilhoso poder observar a diversidade da fauna e da flora, navegar por aqueles labirintos formados pelas águas dos igarapés quando elas sobrem e transbordam. Em Agosto quando fui os igarapés transbordam e formam os igapós.

Tem dois tipos de passeio que custam R$ 30 ou R$ 50 para até quatro pessoas, que dura de 30 a 60 minutos. No ponto de saída da canoa fica um restaurante que serve pratos regionais.

Passeios de barco

O melhor de o que fazer em Alter do Chão é pegar um passeio de barco para conhecer as praias do Rio Tapajós. A melhor forma é ir até o pier em frente à praça principal onde ficam os barqueiros e negociar diretamente. Se você pegar uma agência é possivel que pague mais caro e ainda pega aquele barco que você nem sabe como é, e quantas pessoas de verdade vão junto. Eles possuem vários roteiros pré-definidos de passeios, que variam de acordo com a época da seca / cheia.

Passeio Lago Verde e Pindobal

Fiz dois passeios de dia inteiro de barquinho alugado ali no píer da praça principal. No primeiro dia fomos conhecer as outras praias na região, incluindo Lago verde, a Ponta do Muretá e Pindobal. Eu estava sozinha e fechei a lanchinha por 200 reais só para mim. Achei que valeu muito a pena porque pude parar onde quis e ficar o tempo que queria em cada lugar.

Um dos lugares mais lindos do dia foi a Ponta do Muretá onde aproveitei para levantar o drone e fazer lindas imagens.

Em seguida fomos para Pindobal, uma praia com vários restaurantes e barraquinhas a beira do rio. Dá para ir de carro também, se preferir. Uma boa parada para um petisco e um drink. Dali daquele ponto é impressionante ver quão grande é o Rio Tapajós. Simplesmente não dá para ver a outra margem do rio! É realmente um “mar de água doce”.

Lago Preto e Ponta do Cururu

No segundo dia fizemos o passeio para a Ponta das Pedras, Lago Preto, Casa do Saulo e Ponta do Cururu.

A primeira parada para banho foi no Lago Preto que é um local protegido. Não paramos na Ponta das Pedras porque estava muito cheia. Depois seguimos para almoçar na Casa do Saulo, e no final da tarde paramos na Ponta do Cururu. Que lugar! Veja o video. Essa praia reina a tranquilidade, quase ninguem. Dizem que dali se tem um belo pôr do sol também.

Adorei o restaurante Casa do Saulo, comida boa, drinks com frutas regionais e um ambiente delicioso. Bem frequentado!

Outras atrações

Encontro das águas

Em direção à Santarem é possível ir ao encontro das águas do Tapajós e do rio Amazonas. Os dois rios correm paralelos por longa extensão e não se misturam por conta da densidade e temperatura das águas. O Tapajós com águas claras e quentes e o Amazonas suas com águas barrentas e frias. No mesmo passeio é possível ver o boto cor-de-rosa ou boto cinza, o tucuxi.

Canal do Jari

Não deu para incluir esse local no passeio do segundo dia porque estava ventando e o rio estava muito batido. Nele é possível apreciar as lindas vitórias-régias que florescem na época do inverno amazônico. Além da vegetação típica, observar aves e botos.

Pôr do Sol em Alter do Chão

Há diversos lugares para se ver o por do sol em Alter do Chão. Eu vi da Ponta do Cururu e da Praia do Amor. Outro local elogiado para assistir ao pôr do sol é no CAT, uma cai à esquerda do vilarejo.

Serra da Piraoca

Não fui mas soube que tem essa trilha de cerca de uma hora que leva ao ponto mais alto de Alter do Chão. Opção para os aventureiros para ver uma bela vista do ‘Caribe da Amazônia’.

+ Veja aqui mais dicas de Alter do Chão

Praça Sete de Setembro

À noite a Praça Sete de Setembro ganha vida com apresentações de carimbó e musica regional. Os bares e restaurantes fervem de gente. Não deixe de conferir as lojinhas de artesanato feito pelas comunidades próximas da vida.

Gostaram das dicas de o que fazer em Alter do Chão? Se tiver qualquer duvida deixe um comentário aqui abaixo tá?!

Obrigada pela visita e volte sempre!

Viagens e Outras Historias

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *