Mais um lindo destino de ecoturismo do Brasil, a Chapada dos Guimarães ainda guarda um Brasil pouco conhecido. Paredões, cachoeiras, cavernas, trilhas, animais raros, flora nativa em mais de 3 mil km² de parque nacional. Pra você ter ideia, só de paredões são 157 km, 46 sítios arqueológicos catalogados, 59 nascentes e 487 cachoeiras! E ainda espere encontrar um céu azul de rachar durante o dia, e um céu vermelho alaranjado ao entardecer – é parque pra ninguém botar defeito!

Chapada dos Guimarães

Confira nesse artigo as dicas do que fazer num feriadão na Chapada dos Guimarães. Conto aqui como foi o meu roteiro, como chegar, onde me hospedei, e quais são os atrativos imperdíveis da região.

A importância da preservação

Com diferentes formações geológicas, incluindo áreas de origem desértica e marinhas, a Chapada dos Guimarães já foi mar e deserto há milhões de anos atras.

Estão lá grande parte das nascentes dos grandes rios brasileiros tais como o Rio Paraguai, Tocantins, Araguaia e o Rio São Francisco. E ainda algumas nascentes que formam o Pantanal Mato-grossense, e que contribuem para grande parte do abastecimento de água em Cuiabá.

Chapada dos Guimarães

Considerado uma das mais ricas “savanas tropicais” do planeta, o cerrado brasileiro é o segundo maior bioma do país com muita diversidade e endemismo na sua flora. A área do parque Chapada dos Guimarães protege 10 tipos diferentes de vegetação do cerrado com 659 espécies conhecidas de vegetais, 44 de peixes, 242 de aves e 76 de mamíferos.

Sua fauna inclui a onça-pintada, o macaco bugio, o veado-campeiro, a anta, o lobo-guará, o tamanduá-bandeira, o tatu-canastra, a ema e a seriema. Maritacas e araras aninham-se nas falésias de arenito vermelho e na copa das árvores do parque.

A visitação do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães é controlada e monitorada de acordo com a sua capacidade, tudo para garantir uma visitação segura, agradável, e principalmente de baixo impacto ambiental.

Como chegar na Chapada dos Guimarães

O Parque fica entre Cuiabá e o município da Chapada dos Guimarães. Pra chegar lá pegue a Rodovia Emanuel Pinheiro – MT 251, que margeia e corta o parque em grande extensão.

Do aeroporto de Cuiabá até lá são aprox. 60 quilômetros. A melhor forma de chegar é de carro. Nós alugamos sempre com antecedência com a RentCars, que é uma plataforma que busca as melhores condições de todas as locadoras. Use esse link aqui para fazer sua cotação e reserva, assim você ajuda na manutenção do blog que sempre te oferece dicas boas e gratuitas.

Chapada dos Guimarães

Quando passamos, a estrada estava em boas condições mas é bom prestar atenção que existem vários trechos em aclive e não tem acostamento em boa parte da estrada. Para os que não estão de carro, é possível organizar um transfer com a pousada (mais dicas abaixo) ou pegar um ônibus na rodoviária de Cuiabá que sai com bastante frequência.

Chapada dos Guimarães

Quando ir à Chapada dos Guimarães

Procure sempre saber sobre a previsão do tempo antes de programar seu feriadão na Chapada dos Guimarães. A melhor época é de abril a outubro, período que fica fora da temporada das chuvas que vai de dezembro a março, e quando deve-se redobrar o cuidado com as cheias nas cachoeiras. Neste período as quedas d’água costumam ficar mais volumosas e a água também se torna mais turva. Normalmente sempre faz calor, a temperatura só cai um pouco de noite.

Chapada dos Guimarães

Na época de seca, principalmente no meio do ano até outubro, as cachoeiras perdem seu volume e também aumentam as possibilidades dos incêndios florestais. O parque é ameaçado por queimadas, infelizmente muitas vezes causadas por atividades humanas.

Chapada dos Guimarães

O que fazer num feriadão na Chapada dos Guimarães

Dá pra realizar diversas atividades no Parque da Chapada dos Guimarães, desde trilhas leves à caminhadas moderadas ou avançadas, para quem tem experiência em trekking. Tem para todos os gostos e bolsos. Além das caminhadas, prepare-se para muitos banhos de cachoeiras e de rio, observação da fauna e flora e contemplação da natureza.

Principais atrativos

O mirante da cachoeira Véu da Noiva é o principal cartão-postal dentro do parque. Não deixe de conhecer também o Circuito das Cachoeiras, a Cidade de Pedras, o Vale do Rio Claro e o trekking até o Morro São Jerônimo.

véu da noiva

Fora do parque indico pra vocês outras boas atrações como o circuito de cachoeiras Águas do Cerrado e as cavernas Aroe Jari com a lagoa azul. Ainda dá pra fazer um bate-e-volta até Nobres e curtir uma flutuação em rio cristalino, conhecer a cachoeira Serra Azul e passar o final da tarde entre revoadas na Lagoa das Araras. Pra fazer tudo isso você precisaria ao menos uma semana. Eu passei 3 dias e meio e deu pra aproveitar bastante, espero voltar em breve para conhecer tudo.

Detalhei cada um dos passeios que fizemos nesse artigo aqui. Clique aqui neste link aqui para ser direcionado e planejar sua trip num feriadão na Chapada dos Guimaraes.

caverna aroe jari

Entrada e guias do Parque

Para visitar alguns atrativos é obrigatório contratar um guia condutor autorizado pelo Parque Nacional. Nosso guia foi indicado pela Pousada do Parque onde nos hospedamos. Se preferir pode encontrar aqui a lista dos guias qualificados.

A diária dos guias costuma ser R$ 300 se você usar o seu carro. O valor pode ser divido pelo número de pessoas do grupo. Os passeios do Vale do Rio Claro e a Cidade de Pedras exigem um carro 4 x4 e, por isso, acaba saindo mais caro uma vez que normalmente são feitos no carro do guia. De qualquer forma não perca, é espetacular!

A entrada do Parque é gratuita (pelo menos quando eu fui) mas exige agendamento prévio que pode ser feito pelo guia no site do ICMBio.

Além disso você pode contratar agências que realizam passeios diários como a Chapada Explorer. Acabei não fechando com eles pois foi mais prático fechar direto com a indicação da pousada, mas gostei do portfólio e a organização .

Onde ficar num feriadão na Chapada dos Guimarães

Nós nos hospedamos na Pousada do Parque que fica nos limites do Parque Chapada dos Guimarães, numa altitude de 750m. Sua área de 500 hectares inclui duas cachoeiras sazonais (dezembro a julho), uma torre de observação e diversas trilhas ecológicas de nível fácil e moderado. Ainda possuem uma piscina e sauna, além de uma Shala, espaço para a prática de Yoga.

São 8 apartamentos decorados em estilo rústico chique, não é à toa que leva o selo da associação Roteiros de Charme. Os quartos são aconchegantes, confortáveis e possuem ar-condicionado, aquecimento solar e internet Wi-Fi, mas não tem TV ou frigobar. Não esqueça de reservar a pousada pelo link do blog com o Booking.com. Clique aqui.

O restaurante da pousada tem uma vista lindaaa do Parque Nacional. É uma delícia chegar do passeio e curtir o final da tarde até o pôr do sol tomando um vinho por ali.

Eles servem entradinhas e o cardápio para almoço e jantar é bem diversificado. O café da manhã também é servido nesse restaurante, e é bem completo, inclui com sucos, frutas, ovos, pães, frios e ainda opções de tapioca de carne de sol que eu adoro.

Observei a preocupação da Pousada com o meio ambiente, lá eles possuem sua própria estação de tratamento de afluentes e um projeto pioneiro da região com refrigeração e aquecimento solar. Importante cuidar né?

Combine sua viagem com uma visita ao Pantanal! Que tal?!

+ Dicas do Pantanal

+ O que fazer no Pantanal

+ Onde ver a Onça-pintada no Pantanal

Espero que tenham curtido minhas dicas de passar o feriadão na Chapada dos Guimarães. Se curtiu o artigo ou tiver qualquer duvida, deixa um comentário aqui abaixo para eu saber da sua visita ao blog.

Obrigada pela visita e volte sempre! 😉

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

2 comentários até agora!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *