Bem na divisa da Bahia com Sergipe, Mangue Seco é um daqueles lugares onde a criação da natureza foi bemmmm generosa. Simplesmente não dá vontade de ir embora desse lugar. A paisagem é perfeita, são mais de 30km de praias com areias brancas e fofas, dunas, mangues, muitas fazendas de coqueiros e aquele clima de paz e tranquilidade. E ainda te, um vilarejo de areias lindinho, nunca vi igual.

Mangue Seco

Uma pena que dizem que o lugar pode sumir daqui a alguns anos, porque infelizmente está espremido entre a foz do Rio Real e imensas dunas. É fato que, o rio a cada dia que passa amplia seu alcance, reduzindo as margens da restinga. E do outro lado, o mesmo acontece com as dunas, que teimam encobrir o local pela força de seus ventos. E nesse contexto todo, ainda tem o mangue, que é resultado da bela mistura da água salgada do mar com as águas doces do Rio Real.

Mangue Seco, Terra de Tieta

Mangue Seco ficou famoso por ser o cenário onde foi gravada a novela Tieta do Agreste, adaptação do belo romance de Jorge Amado. Bom que a fama não prejudicou sua natureza intocada, Mangue seco está ainda preservado.

E você, se recorda de Tieta pastoreando cabras pelas dunas da região?

Mangue Seco

Se não lembra da história, conto aqui um resuminho. Será mais encantador conhecer Mangue Seco entendendo esse romance que narra costumes, hábitos e histórias tradicionais da região, incluindo relações de poder e corrupção, religiosidade e liberação sexual.

A história começa assim: Tieta é escorraçada de Mangue Seco pelo pai por conta de suas libertinagens e vai morar em São Paulo, onde se torna uma cafetina. Apesar de sempre enviar dinheiro à família, ninguém conhece seu paradeiro até que 25 anos depois ela resolve voltar à sua terra natal, tumultuando por completo o pequeno vilarejo baiano. Quer saber mais? Leia o livro!

Mangue Seco

Ainda há um assunto legal de comentar que foi narrado no romance: o conflito entre o progresso advindo pela chegada da luz gerada pela nova hidrelétrica e a preservação ambiental. Toda a polêmica se desenrola porque uma indústria, altamente poluidora, queria instalar sua fábrica em Mangue Seco, ameaçando aquele destino ecológico.

Como chegar em Mangue Seco

Mangue Seco pertence ao município de Jandaíra, no extremo sul da Bahia, quase na divisa com Sergipe. Aliás, preciso avisar que, para chegar lá é mais perto vir da capital sergipana, Aracaju, do que vir de Salvador.

Mangue Seco

Mangue Seco fica aprox 110 km distante de Aracaju. Siga para o Distrito de Pontal, no município de Indiaroba. Chegando lá vai ter que atravessar de barco o Rio Real que divide os dois estados. Pronto, você chegou ao paraíso! A navegação é bem tranquila e dura em torno de 15 minutos até chegar ao cais do vilarejo de pescadores.

Mangue Seco

Pelo caminho as estradas estavam em bom estado geral, com alguns buracos, mas sem pedágios. Fiz o transfer com o Rodrigo tel/whatsapp (79) 9965-0440 que cobrou R$ 300 pra ida e volta – Aracaju x Mangue Seco x Aracaju – em carro privado. A travessia de barco foi feita com o Vicente que tem uma lancha no vilarejo de Pontal (R$ 140 ida e volta). O contato dele é o (79) 9965-5524. Tudo previamente combinado via whatsapp.

Se você optar por ir de carro próprio, use um dos estacionamentos em Pontal. Se precisar de um carro alugado, lembre-se de usar a RentCars que é uma plataforma que compara preços de todas as locadoras, e te apresenta sempre as melhores opções. Uso muito e recomendo. Clique aqui para alugar seu carro.

O Vilarejo de Mangue Seco

Uma graça, pequeno e aconchegante, com ruas de areia sem nome e casinhas antigas sem número. Na praça central está a igrejinha do padroeiro Bom Jesus dos Navegantes, datada do século XIX, e também o recanto da dona Sula (que é tia do Jorge Amado) e o “shopping” de Mangue Seco onde você encontrará artesanatos e souvenirs.

Mangue Seco

Não espere encontrar nenhuma infraestrutura turística em Mangue Seco. Aí está o charme do lugar. O vilarejo tem poucas opções de pousadas e restaurantes, é tudo muito rústico mas acolhedor. Os restaurantes em geral servem comida caseira, com tempeiros locais. Não deixe de provar a Moqueca de Aratu, que é um pequeno caranguejo vermelho encontrado nos mangues da região.

Preciso avisar que Mangue Seco não tem farmácia (então previna-se trazendo seus remedinhos) mas tem algumas mercearias e algumas poucas lojinhas. Ah! Também não tem vida noturna heim… tudo fecha antes das 22h. O destino é realmente para quem quer descansar e curtir a natureza.

A única parte do vilarejo que não é coberta de areia é o calçadão à beira do Rio Real, que começa na altura da praça e vai até a associação dos bugres. Ao longo do calçadão está a maior parte dos restaurantes.

A Ilha da Tieta

Bem perto do vilarejo está a “Ilha de Tieta”, um banco de areia que na maré baixa dá para chegar caminhando. Com a maré alta vá com o barqueiro por R$ 2,00. Aos finais de semana uma barraquinha com bebidas e petiscos está aberta ali.

Mangue Seco

É um bonito passeio às margens do Rio Real e de frente para as dunas. A água é super transparente ali. Vale caminhar para a esquerda onde tem uma área de mangue.

Mangue Seco

A Ilha da Sogra

Outro programa imperdível é o passeio de barco que vai até a Ilha da Sogra, à Ilha do Sogro e à Praia do Saco, ali no litoral de Sergipe. Fiz o meu passeio com o Vicente (79) 9965-5524, o mesmo barqueiro que me atravessou de Pontal para Mangue Seco.

A Ilha da Sogra na verdade é um banco de areia com mais de 1 km de extensão, formado com a maré baixa. Suas piscinas naturais, com água bem cristalinas, são sensacionais. O nome engraçado vem, segundo as lendas locais, por conta da história de um pescador que esqueceu a sogra na ilha – de propósito – que ficou ali por um longo período, quase enfartando de susto, até ser resgatada antes da maré subir por completo.

Mangue Seco

É um lugar perfeito, areias que não se acabam em meio a lagoas de água paradinha e quentinha. É de tirar o fôlego. Na ilha do Sogro, o banco que fica bem na frente da Praia do Saco tem estrutura de bar.

A última parada foi na famosa Praia do Saco que eu não achei nada demais, ao menos a parte onde está a igrejinha. A parte bonita fica na enseada que passamos rapidamente de barco, chegando até a Ponta do Saco. São mais de 5km de praias com coqueirais, dunas, manguezais e rios de água doce que desembocam no mar.

Passeio de buggy em Mangue Seco

Os passeios de buggy são contratados ali na associação dos bugreiros, no final do calçadão da orla. O preço vai depender da quantidade de paradas que você escolher. Eu fiz o passeio intermediário (R$ 170) com cinco paradas para fotos: passamos pelos pontos de Bela Vista, a duna do pôr do Sol e do sandboard (ou skibunda), o morro do caju e finalmente a dupla de coqueiros mais famosa do lugar, Romeu e Julieta! 

A Duna do Caju é a maior e a mais alta duna de todo o Mangue Seco. O passeio mais longo, que vai além das cinco paradas, inclui a visita ao vilarejo do Coqueiro, no final da restinga.

Os coqueiros Romeu e Julieta, eternizados pela abertura da novela Tieta, estão perto da praia. Vale muito a pena caminhar até lá e tirar várias fotos maravilhosas. É uma paisagem de tirar o fôlego!

Todos os passeios tem a praia como ultima parada. Aproveite e fique um tempinho ali para curtir um banho do mar, relaxar e almoçar. Combine a volta com o bugueiro, está inclusa no preço.

Na praia tem várias barracas. O destaque vai para o restaurante da Dona Aurora, que chegou a participar da novela de Tieta e recebeu muitos artistas na sua barraca. Prove ali os típicos pasteis de Aratu e a deliciosa caipirinha de Mangaba. Aproveite a sombra de suas tendas de palha, as redes, a praia e o mar de águas mornas e cristalinas.

Outra opção é contratar um passeio de quadriciclo. O guia vai na frente em um quadri e você pode ir dirigindo em outro podendo levar alguém na garupa.

=> Quer ir para a Bahia? Veja aqui Itacaré e Maraú!

Onde ficar em Mangue Seco

Me hospedei no Mangue Seco Bistrô e Suítes, dos simpáticos anfitriões Camila e Túlio. A pousada fica a 5 minutos do píer e bem perto da praça onde fica a igrejinha. São apenas duas suítes portanto tem atendimento super personalizado, mas é preciso reservar com antecedência. Use o link do Booking daqui do blog, você paga o mesmo preço e ajuda na manutenção desse site.

Os quartos tem TV, ar condicionado, frigobar e wifi. Gostei que disponibilizam 2 travesseiros para cada hóspede, mas não oferecem amenities de banho, portanto leve os seus.

O destaque da pousada vai pra culinária da Camila. O café da manhã é super personalizado, você escolhe o que quer diante de uma série de opções, e ainda chegam algumas surpresinhas. Os pães são caseiros, preparados na cozinha da Camila, além das quiches, bolos e tarteletes. Vem tudo cortadinho e decoradinho para o nosso completo encanto.

O bistrô abre todos os dias das 16:30 às 20:30, inclusive para não hospedes. Adorei o hambúrguer artesanal, gostei também das boas opções de massas, além das opções de vinho com bom custo x benefício.

As instalações da pousada contam com um salão onde fica o restaurante, um jardim interno, as duas suítes para hóspedes, a área onde os anfitriões residem e um terraço de onde se pode apreciar um pôr do sol e/ou um céu estrelado com vista do vilarejo e do Rio Real.

Após o checkout, se você quiser aproveitar o dia em Mangue Seco, pode deixar a bagagem guardada com eles e tomar um banho no banheiro externo. Achei ótima opção.

Continue lendo…

+ Veja aqui mais dicas de destinos na Bahia

Espero que tenha gostado das minhas dicas de Mangue Seco. Se tiver qualquer duvida (ou se gostou do artigo), deixe um comentário aqui abaixo.

Obrigada pela visita e volte sempre! 😉

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *