Localizada a menos de 100km de Belo Horizonte, a Serra do Cipó é um ótimo destino para quem curte cachoeiras, piscinas naturais, cânions, trilhas a pé e de bike, cavernas e sítios arqueológicos. São tantas atividades pra fazer por lá que extrapolam a área do Parque Nacional. Continue lendo para conferir todas as dicas de o que fazer, onde ficar, onde comer, como chegar e tudo mais que você precisa saber sobre a Serra do Cipó.

Cachoeira Grande Serra do Cipó

Se curtiu o artigo com as dicas ou se tem alguma duvida, deixe seu comentário no final da seção que terei prazer em responder.

A exuberante Serra do Cipó

Inserida na Cordilheira do Espinhaço, a Serra do Cipó é considerada uma região mística, terra de cristais, extraterrestres e discos voadores.

Mas, sua importância real é geológica, já que a Serra do Cipó é um divisor natural das bacias hidrográficas dos rios São Francisco e Doce, sendo também divisora dos biomas cerrado e mata Atlântica, os dois mais ameaçados do país.

Há muitas espécies de vegetação que são encontradas somente lá e animais ameaçados de extinção como o lobo-guará, o gavião-pomba, a onça-parda, o gato-maracajá e o lagartinho-do-cipó. Só dentro do parque existem mais de 60 cachoeiras, além de cânions e belas paisagens acessíveis por trilhas que podem ser percorridas a pé, de bicicleta ou a cavalo.

Serra do Cipó

Não é à toa que, por conta dessas incríveis paisagens, que o paisagista Burle Marx deu à região o apelido de “Jardim do Brasil”.

Os estudos geológicos atribuem à região uma idade aproximada a 1,8 bilhões de anos!! Datada do período Pré-Cambriano, suas rochas de quartzitos foram formadas por sedimentação marinha, isso quer dizer que um dia, há bilhões de anos atrás, todo aquele lugar foi mar. A existência humana no local é estimada para mais de 10.000 anos através dos registros nos seus diversos sítios arqueológicos. Devido à essa importância geológica, e pela biodiversidade de sua fauna e flora, foi criado o Parque Nacional em 1984.

Serra do Cipó

Como chegar na Serra do Cipó

Do aeroporto de Confins até a Serra do Cipó são aprox 80km, via rodovia MG-10, passando pela cidade de Lagoa Santa até Santana do Riacho, porta de entrada da Serra do Cipó.

Desembarcamos em Confins e alugamos um carro com a RentCars (clique no link e alugue seu carro aqui pelo blog). Recomendamos essa plataforma que compara as opções e preços de aluguel de carro em todas as locadoras e fornece comodidade e flexibilidade para você curtir a Serra do Cipó.

Você também pode chegar lá de ônibus. Duas empresas fazem o trajeto a partir de Belo Horizonte: a Serro e a Saritur com partidas em vários horários e valores (consulte o site deles para atualizações de preços e horários).

O que fazer na Serra do Cipó

A Serra do Cipó é um lugar perfeito para estar em contato com a natureza e praticar esportes como escalada, trekking, rapel, ciclismo e rafting.

Serra do Cipó

Vou começar pelas cachoeiras que são lindas. Pra chegar é sempre preciso fazer alguma trilha, geralmente em meio à mata ciliar, mas, fique tranquilo, a maioria delas é de fácil acesso. Visitamos as cachoeiras Grande, Véu da Noiva e Serra Morena, que estão fora do Parque Nacional. Dentro do Parque fomos ao Cânion Bandeirinhas. Ali estão as cachoeiras da Farofa, das Andorinhas e do Gavião.

Serra do Cipó

Cachoeira Grande

É um dos cartões postais da região, formada pelo próprio Rio Cipó. Com 10 metros de altura e 60 m de largura, é a cachoeira mais larga de toda a Serra. No topo da cachoeira tem um lago onde são realizados passeios guiados de caiaque e SUP. Eu A-DO-RA-RIA!! Soube mais tarde que deveria ter os contratado com antecedência nas agências de turismo que ficam na cidade.

Cachoeira Grande Serra do Cipó

A trilha em si não exige muito esforço. A caminhada da portaria do parque até a Cachoeira principal tem aprox 1km, mas antes de chegar existem 3 poços que valem uma parada: Cachoeira do Tomé, o Poço da Chica e o Lageado.

O acesso é feito pela rodovia MG-010, na altura do Km 95. Fica dentro de uma propriedade particular, dentro do Parque Zareia, portanto é cobrada uma taxa que na época que fui era de R$ 35,00 (foi possível pagar com cartão).

Cachoeira Grande Serra do Cipó

Na entrada há banheiros e estacionamento, mas não há bar ou lanchonete, por isso recomendo levar o seu próprio lanche. Também não é permitido acampar no local, nem entrar com bebidas alcoólicas, caixa de som, acender fogo ou entrar com veículos e animais. Mas é permitido curtir à vontade, tirar fotos (ahaha) e sair para almoçar e retornar depois, sem custo extra.

Chegue cedo porque o acesso é limitado a um número máximo de pessoas por dia. Chegamos no final da tarde e estava vazia… mas soube que é um lugar bem concorrido. Prepare-se.

Cachoeira Véu da Noiva

É uma cachoeira enorme, com 120 metros de altura com uma piscina natural de onde é permitido saltar de uma plataforma de uns 5 metros de altura. No dia que em que fomos estava bem frio e não vimos nenhum corajoso sequer…

Véu da Noiva Serra do Cipó

O melhor horário para visitá-la é por volta do meio-dia quando há incidência de sol, que deixam suas águas ainda mais claras. Não há muitos lugares para sentar-se na borda da piscina natural pois suas pedras são bem irregulares. Mas com jeitinho, arruma-se um lugar.

A cachoeira fica dentro uma espécie de clube do camping da ACM que possui boa infraestrutura com quadras, uma piscina abastecida com água natural da cachoeira, banheiros, uma lanchonete e área de camping. A trilha para chegar até à cachoeira é leve, mas com uma subidinha. São aprox 400 metros que levam de 10 a 15 minutos dependendo do seu condicionamento físico.

Véu da Noiva Serra do Cipó

Pra chegar lá siga a estrada principal, passe pelo centrinho de Serra do Cipó. O acesso fica antes do início da subida da serra, uma propriedade à direita na beira do asfalto. É só colocar em algum app de GPS que não tem erro.

Existem dois tipos de ingressos para visitar essa cachoeira: você pode pagar R$ 11,00 para só conhecer a cachoeira e ficar 1h, ou pode pagar R$ 30,00 para ficar o dia inteiro no local. Caso você opte por ficar 1h, e decida ficar mais tempo, pode acertar a diferença na saída.

Cachoeira Serra Morena

A Cachoeira Serra Morena é um complexo com 3 cachoeiras que estão entre as mais bonitas da região da Serra do Cipó. A mais alta tem 100 m de altura, com uma piscina natural rodeada pela mata. Caminhada de 1 km de trilha com alguns trechos íngremes.

Serra Morena Serra do Cipó

Com fácil acesso de carro, fica a 15 km do centro, a partir da MG 010 pelo km 104,5 sentido Serro. Dali pegue a Estrada para Vau da Lagoa e ande aprox 6 km em estrada de terra. A entrada custa R$30,00 e o local possui banheiro, restaurante, camping e até uma pousada.

Parque Nacional Serra do Cipó  

Para explorar o Parque Nacional Serra do Cipó existem três opções: à pé, de bike ou à cavalo. Eu amo bicicleta e não tive dúvida em escolher. Alugamos as bikes na Casa do Ciclista no trevo da entrada do vilarejo um dia antes e as pegamos na entrada do parque no dia do passeio. A devolução é feita ali na portaria do parque até as 17hs. Nosso plano era conhecer a Cachoeira da Farofa e o Cânion das Bandeirinhas.

Bike Serra do Sipó

Pedalamos um total de 25 km e por conta do tempo, ingressamos tarde no parque, não deu para chegar até a cachoeira da Farofa. As trilhas são planas, com poucos trechos de subida ou descida. A emoção fica por conta da areia fofa, que rende várias derrapagens, e dos rios que atravessamos. Use boné e protetor solar porque nem tudo é sombra!

Serra do Cipó

Cânion Bandeirinhas

O cânion é um afunilamento do Ribeirão Bandeirinhas, cercados por enormes paredões, e uma sucessão cascatas e piscinas naturais de águas cristalinas. Para chegar lá é necessário percorrer 12 km desde a portaria. As trilhas são maravilhosas.

No meio do caminho, onde tem que deixar a bike, você atravessará um rio raso, cuidado com as pedras escorregadias ali. Aproveite pra se refrescar por ali antes de continuar a trilha.

Canion bandeirinhas
Serra do Cipó

Cachoeira da Farofa

Infelizmente como falei não deu tempo de conhecer a Cachoeira da Farofa mas dizem ser muito bonita. Nós entramos no Parque por volta das 13h e fomos bem rápidos até, mas nao deu… fica para a proxima vez.

Se você tiver uma foto boa pra compartilhar aqui, deixe seu comentário ao final do artigo. Pelo que vimos, a cachoeira da Farofa tem uma queda de 80 metros com piscina natural. São 7 km da portaria, cerca de 2 horas de caminhada a pé ou 40 minutos pedalando. Fica pra próxima!

Estátua do Juquinha

José Patrício, conhecido por Juquinha, era um andarilho bastante simpático, de aparência rústica, apaixonado pela natureza e pelas montanhas. Uma das figuras mais populares e queridas da região por sua forma simples de viver. Ficou famoso porque, além de colher flores e oferecer às pessoas, ressuscitou no seu próprio velório.

Estatua do Juquinha

É que Juquinha tinha uma doença chamada Catalepsia Patológica, uma doença bastante rara, que contrai seus membros, principalmente o coração, dando a impressão de que o indivíduo faleceu. Foi assim que ele foi dado como morto e “ressuscitou” em pleno velório.

“O coração dele não batia, o pulso, nada. Nós o sacudimos. Parecia morto mesmo”, disse a cunhada Maria Venâncio da Silva.

“Ele levantou, sentou, então nós pegamos o caixão dele e escondemos atrás de uma bananeira para ele não ver”.

“Todo mundo ficou abismado com aquilo, porque a gente nunca viu um trem desse”, completou Maria.

Após a sua morte definitiva, os prefeitos de Conceição do Mato Dentro e Morro do Pilar resolveram homenageá-lo com uma estátua, feita pela artista plástica Virgínia Ferreira, localizada em um dos pontos mais altos da Serra.

Conhecer o centrinho

O centrinho da Serra do Cipó é cheio de barzinhos (afinal estamos em Minas Gerais) e lojinhas de artesanato. A vida noturna é bem animada por ali com um som ao vivo em cada esquina. Você vai encontrar uma infinidade de opções de restaurantes, pizzarias, hamburguerias e barzinhos. Procure no centrinho outra estátua do Juquinha. Quando fomos, ele estava de máscara!

No final da tarde recomendo uma cerveja na Venda do Zeca, uma mercearia que existe há mais de um século. Lugar perfeito para uma boa prosa à sombra de uma árvore. Aproveite para comprar compotas e doce de leite da região. Ah! Tem lá uma cerveja artesanal imperdível com rótulo da “Serra do Cipó”. A venda fica perto da saída da Cachoeira grande, na Rua do Campinho, 45.

No centrinho à noite conhecemos o Caverna, um escalador que vive na região. Ele nos contou que a região é considerada meca para os praticantes deste tipo de esporte, provavelmente o point mais famoso de escalada esportiva no Brasil e referência mundial por conta dos seus incríveis paredões.

Ficamos sabendo que a Serra do Cipó possui mais de 350 vias com diversas graduações para escaladas. Nós o conhecemos na última noite e combinamos de voltar para experimentar uma delas com ele. Deixo aqui o seu contato para quem quiser experimentar essa aventura na serra do Cipó com o Caverna tel 31 97175 2267. Nós vamos voltar com certeza!

Onde ficar na Serra do Cipó

Nos hospedamos na Pousada Adega Cipó num chalezinho rústico com bom café da manhã e bem pertinho do centrinho, numa curta distância à pé. O café da manhã é bem farto, com pãezinhos de queijo saindo do forno à toda hora.

Para reservar não esqueça de usar o link do blog com o Booking. Você pagará o mesmo preço e ajudará com a manutenção do site. Reservamos com antecedência.

Espero que tenham curtido minhas dicas de viagem pela Serra do Cipó. Se tiverem qualquer duvida, só deixar um comentário aqui abaixo que terei prazer em responder.

Obrigada pela visita e voltem sempre!

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *