Das cidades que conheci no Equador, Cuenca definitivamente foi a que mais me encantou. Claro que Quito também é o máximo, mas meu coração suspirou mesmo foi por Cuenca. Seu lindooo centro histórico foi considerado Patrimônio Mundial pela UNESCO, um dos mais bonitos das Américas, repleto de construções coloniais da era espanhola e republicana. Simplesmente não dá vontade de parar de andar por aquelas calles.

Cuenca Equador

Fundada em 1557, Cuenca abriga uma rica história preservada em vários de seus museus, sítios arqueológicos, crenças e costumes. Além disso, a persistente atividade e diversidade cultural contribui para as artes com destaque para a ourivesaria, selaria, cestaria, serralharia, cerâmica, entre outras. Cuenca também sedia vários festivais internacionais como o Festival de Artes Cênicas e a Bienal Internacional de Cuenca, o único evento oficial de artes plásticas do Equador.

Dicas Cuenca Equador
Dicas Cuenca Equador

+ Esse artigo faz parte de uma série da minha viagem ao Equador passando por Cuenca, Guayaquil, Galápagos e Quito. Clique aqui para conferir todos eles.

Dicas Cuenca Equador

A capital da província de Azuay tem mais de 800 mil habitantes, mas, apesar de ser a terceira maior cidade do Equador, Cuenca carrega um clima tranquilo de cidade do interior. Além da riqueza cultural, comercial e gastronômica, ela também chama atenção por sua personalidade, sendo uma cidade tranquila, organizada, próspera, mestiça e culta. Te amei Cuenca!

Despertei vontade de conhecê-la? Vamos explorar mais?!

Como chegar à Cuenca

A cidade fica em solo ancestral, num vale da Cordilheira dos Andes, a 480 km ao sul de Quito e 200 km de Guayaquil. O clima é sempre ameno e oscila entre 13 a 18 graus por conta de sua altitude que fica a 2.500 metros acima do nível do mar. Então, não importa a época do ano que você vá conhecê-la, não se esqueça de levar um agasalho. Bom saber que a época que chove mais é entre os meses de janeiro a março. Eu fui em Dezembro e peguei dias ensolarados com chuvinha no final do dia.

Dicas Cuenca Equador

Para chegar a melhor opção é de avião (saem voos regulares de Quito). Eu fui de carro porque estava em Guayaquil, aos pés da montanha, dali era a opção mais fácil. Organizei com o hotel um motorista para o transfer que custou 250 usd ida e volta. A viagem de carro é bem cansativa, levamos mais de 5h tanto na ida quanto na volta. A estrada tem muitas curvas e é bastante movimentada. Acho que a melhor opção é mesmo o avião.

Virgem del Rocio Cuenca

Mas se for de carro aproveite para conhecer o Santuário da Virgem del Rocio que fica na cidade de Biblian, na província de Cañar. A Igreja tem estilo gótico construída e tem o altar talhado na pedra. Linda!

O que fazer em Cuenca?

Há muito o que fazer em Cuenca. Fiquei lá três dias, tempo suficiente para conhecer bem. O programa mais imperdível da cidade, na minha opinião, é perambular pelo centro histórico com 52 igrejas, museus, lojas, cafés e mercados. Embora ele seja grande, o melhor mesmo é desbravá-lo a pé. Se puder contrate um guia local para contar-lhe todas as histórias.

Centro Histórico de Cuenca

Comece seu tour pelo Parque Calderón, principal praça da cidade, onde estão a catedral nova e a “velha”. A praça é um lugar ideal pra observar o dia a dia das senhoras cholitas e dos senhores engravatados que ficam ali, sempre sorridentes e gentis.

Parque Calderon Cuenca

A bela e imponente Catedral Nova de La Inmaculada Concepción é o símbolo da cidade. Sua construção começou em 1885 e durou mais de cem anos. Não deixe de subir às suas famosas cúpulas azuis cobertas por azulejos tchecos. O acesso se dá pela histórica Calle Santa Ana que também leva à praça do antigo Seminário San Luis. Um bom lugar para um café ou uma copa de vino.

Dicas Cuenca

Ao lado da Catedral Nova está a Iglesia y Monastério del Carmen de la Asuncion e a Plaza de las Flores que já foi listada como um dos 10 melhores mercados de flores ao ar livre do mundo pela revista National Geographic.

Apesar da imponência da Catedral Nova, gostei mais do interior da Catedral Vieja, chamada de Iglesia del Sagrario, construída no século XVI, que também é um museu sacro. Suas capelas são lindas. Se curte conhecer igrejas coloca na lista, além das duas catedrais, visitar a Igreja de San Francisco, os Monastérios Assunção, a Igreja de Carmen de la Asunción e a Igreja de Santo Domingo.

Catedral Cuenca

Museu e Parque Arqueológico de Pumapungo

Se você gosta de história, vá conhecer o Museu Pumapungo que pretende recriar a visão que as culturas andinas tinham sobre a relação entre o ser humano e a natureza. O museu abriga uma grande exposição destinada aos povos originários do Equador e ao fundo existem ruínas incas e um jardim botânico. É administrado pelo Ministério da Cultura e Patrimônio do Equador e conta com o apoio acadêmico da UNESCO.

Museus Cuenca

Suas exposições contam sobre etnografia, arqueologia e sobre a história das culturas Cañari e Inca que até hoje marcam a identidade de Cuenca. O parque arqueológico tem vestígios de Pumapungo que foi um centro administrativo, militar e religioso pré-hispânico.

Museus Cuenca

No complexo visite também o jardim botânico e a fazenda andina, que abrigam mais de oito mil plantas correspondentes a quatrocentas espécies nativas dos Andes, bem como espécies da fauna andina. O jardim recebe a visitar diariamente de mais de 30 espécies de aves, que conta também com um centro de tratamento das espécies resgatadas do tráfico ilícito. Uma verdadeira representação do microcosmo dos Andes.

Museu Pumapungo Cuenca

Museo “La Magia del Sombrero” de Homero Ortega

No Museu Homero Ortega é possível conhecer a história do tradicional chapéu de palha de toquilha, que tem o título de Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Unesco. Ele é conhecido como “Chapéu do Panamá” mas na verdade sua origem é do Equador, feito no país há mais de 100 anos. Vou explicar melhor essa confusão.

Homerco Ortega Cuenca

A construção do Canal do Panamá (1904 – 1914) atraiu muitos engenheiros e trabalhadores para a região que usavam os chapéus importados do Equador para se protegerem do sol. Sem saber de sua origem, o adereço acabou por engano ganhando o nome de “chapéu do panamá”.

Ele ficou realmente conhecido no mundo todo quando o Presidente norte-americano, Theodore Roosevelt, visitou do Panamá para inaugurar o canal em 1914 e foi fotografado com o chapéu. Aqui no Brasil o modelo ganhou fama nas cabeças célebres de Santos Dumont, Tom Jobim e o presidente Getúlio Vargas.

Homerco Ortega Cuenca

Apesar de ter perdido o nome, o Equador ainda é o local de produção mais tradicional do Chapéu de Toquilla, feito com essa palha da palmeira Carludovicapalmata, original do Equador e não do Panamá. O chapéu é feito da palha seca, depois que é fervida, colocada para secar e depois tecida. Um Chapéu pode leva de 2 a 3 dias até 8 meses para ser tecido.

Homerco Ortega Cuenca

Visitei o museu do Homero Ortega, uma das fábricas de chapéu de palha toquilha mais conceituadas do mundo. No final do tour interno tem uma lojinha onde se pode comprar chapéus a preços que variam de U$30,00 à U$3.000,00, tudo depende da finura da palha e do tipo de trama. Quanto mais delicado, mais demorado e, portanto mais caro.

Homerco Ortega Cuenca

Mirador Turi

Um belo mirante natural, e o principal da cidade, o Mirador Turi fica no alto de uma colina de onde é possível avistar toda a cidade, emoldurado pela Cordilheira dos Andes. Turi, significa “Ouro”; e deste lugar você pode ver a grande maioria do centro histórico de Cuenca, o Parque Nacional de Cajas e três dos quatro rios que cortam a cidade. O melhor horário para visitar o mirante é no pôr do sol, quando a luz ressalta as atrações de Cuenca, como as cúpulas da Catedral Nova.

Observe a pequena igreja que leva o nome de Nuestra Señora de la Merced de Turi, sua construção foi em 1923, tem uma arquitetura feita de adobe em suas paredes, enquanto suas cúpulas foram feitas com tijolo e cal. Sabe-se que, no passado, esse local foi um ponto militar estratégico para a população cañari.

Os Rios de Cuenca

Cercada pelas montanhas dos Andes e por 4 rios, Cuenca leva o nome oficial de Santa Ana de los quatro Ríos de Cuenca. Isso porque é cercada pelos rios Tomebamba, Yanuncay, Machangara e Tarqui, que atravessam a cidade de oeste a leste.

O Rio Tomebamba é o mais importante dos quatro, que praticamente divide a cidade em duas. Uma caminhada pelas margens de suas águas é obrigatória. Para um almoço super agradável experimente o Café del Museo.

Às margens do rio está outra atração cidade, a Puente Roto que foi construída em 1850, mas 100 anos depois foi quase destruída por uma grande enchente. Para um happy hour ou barzinho procure a Calle Larga que fica na região.

Arredores de Cuenca

Não deu tempo para conhecer as atrações fora da cidade mas deixo aqui algumas dicas do que me sugeriram lá:

  • Rota do Corredor Turístico do Rio Santa Bárbara para conhecer os pueblos de Sigsig, Chordeleg, e Gualaceo. São cidadezinhas simpáticas que ficam nos arredores, onde se tem a chance de ver mercados, artesanatos e estar em contato os artistas locais. Em SigSig os moradores produzem chapéus por todo o canto, inclusive nas calçadas e praças. Gualaceo é um dos maiores e mais tradicionais mercados da região e em Chordeleg vai poder conhecer a arte das joias em ouro e prata.
  • Vale a pena também incluir uma visita ao Parque Nacional de Cajas que é bastante procurado para trekkings e caminhadas, com mais de 15 trilhas mapeadas, em diferentes níveis de dificuldade.
  • Ingapirca é o principal sitio arqueológico Inca do Equador, apelidado inclusive de “Machu Picchu do Equador”. Não conheci também mas soube que o complexo é composto por ruínas incas e por ruínas da etnia Cañar e lá é possível conhecer curiosidades sobre a aliança entre os dois povos. Ingapirca fica localizado a cerca de 80 km de Cuenca.

Onde se hospedar em Cuenca

Escrevi um artigo exclusivo contanto minha experiencia no Hotel Boutique Mansion Alcazar que é casarão do final do século XIX finamente decorado com móveis de época republicana e objetos de arte. Um ambiente muito bonito, fino e acolhedor localizado no coração do centro histórico de Cuenca.

+ Clica aqui para saber tudo sobre o hotel que escolhi em Cuenca.

Não esqueça de fazer suas reservas utilizando o link do blog, assim você ajuda na manutenção do site, pagando o mesmo preço que faria direto. Contribua com o site que te ajuda a viajar mais e melhor.

+ Veja aqui todos os demais artigos do Equador

Obrigada pela visita e volte sempre!

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *