Esse é mais um artigo da série sobre minha viagem ao Equador. Aqui vou dar dicas importantes e explicar como montei meu roteiro à Galápagos e explicar como é cada opção. Vamos conferir?!

Roteiro em Galápagos

As Galápagos são famosas por vários animais únicos, incluindo tartarugas gigantes, iguanas e pingüins. De acordo com a Galápagos Conservancy, 80% das aves terrestres das ilhas, 97% dos répteis e mamíferos terrestres, e 20% das espécies marinhas são endêmicas das ilhas. Alias, as únicas iguanas marinhas do mundo – além de três espécies terrestres – são endêmicas das Galápagos.

Roteiro em Galápagos
Roteiro em Galápagos

Como chegar em Galápagos

Não há voos diretos do Brasil para o Equador (ao menos em 2021/22). As melhores opções que vi foram via Panamá com a Copa Air, ou via Bogotá com a Avianca. A Latam também oferecia voos com escala em Lima. Chegando no Equador, Quito ou Guayaquil, será preciso embarcar num outro voo com destino à Galápagos que é oferecido por Avianca e Latam.

A melhor forma para chegar à Galápagos também é de avião, uma vez que o arquipélago fica distante cerca de 1000km do continente. Lá existem dois aeroportos que recebem voos de Quito ou Guayaquil. A melhor estrutura fica na ilha de Baltra, próxima à Santa Cruz. O outro aeroporto que recebe voos do continente fica na ilha de San Cristóbal, capital das ilhas. O ideal é entrar por um e sair pelo outro – foi assim que eu fiz.

Roteiro em Galápagos

Entre as ilhas você pode voar com avionetas de 8 a 10 lugares com a Emetebe ou fazer o trajeto com ferry boats. Vou explicar meu roteiro mais detalhadamente abaixo, continue lendo.

Como explorar as ilhas Galápagos

A decisão mais importante na hora de montar seu roteiro para Galápagos deve ser justamente a forma como você vai explorar as Ilhas. Acertar essa forma dependerá do que você quer ver, qual o tamanho do seu orçamento e como você prefere viajar.

Basicamente existem quatros maneiras de curtir Galápagos:

  1. embarcado num cruzeiro
  2. baseado em terra
  3. embarcado num live-aboard (programação voltada para mergulhadores certificados)
  4. combinando as formas acima num roteiro personalizado (posso montar seu roteiro para você, consulte-me para um orçamento).

Vamos conferir as vantagens e desvantagens de cada opção?

Embarcando num cruzeiro

Dizem que os cruzeiros são a melhor maneira de ver as Ilhas Galápagos, mas também a mais cara. Não foi a forma que eu escolhi. Realmente cruzeiros são mais eficientes em termos de tempo, uma vez que o barco viaja à noite e você acorda no próximo destino, já podendo explorar um novo local. Além disso, cruzeiros permitem que você viaje mais longe, para destinos mais remotos e conheça mais ilhas.

Roteiro em Galápagos

Num cruzeiro todos os dias você terá a chance de fazer caminhadas e mergulhar com snorkel, com um guia que irá mostrar a vida selvagem, que em Galápagos é insuperável. Em geral dois passeios por dia estão na programação, incluindo caminhadas, mergulho ou snorkel.

Roteiro em Galápagos

Com serviço all-inclusive, e duração que pode ser de 3 a 15 noites, os cruzeiros oferecem opções e diferentes orçamentos. Há barcos de todas as formas e tamanhos, alguns para até 100 pessoas, mas recomendo as embarcações para até 16 passageiros que fornecem uma experiência mais íntima em Galápagos. Se possível, prefira os catamarãs que, com dois cascos, proporcionam uma navegação mais confortável e maior estabilidade.

Diria que as desvantagens estão no preço que é mais salgado, as datas de partida fixas e a possibilidade de enjoo ou tonturas devido aos movimentos do mar. Ah! Os cruzeiros em Galápagos são bastante concorridos, muitos iates esgotam muitos meses antes de sua partida. Por isso, monte seu roteiro em Galápagos com antecedência.

Baseado em terra

A opção que chamamos de “baseado em terra”, que foi a que escolhi, não significa que você não vai fazer passeios de barco. Quer dizer que você vai dormir em terra (e evitar o balanço do barco durante a noite). Também conhecido como Island-Hopping ou Land Based Tours, essa opção prevê hospedagem em hotéis nas ilhas habitadas como Santa Cruz, Isabela e San Cristóbal, onde fiquei. Ferryboats e voos curtos entre as ilhas te levam de uma base para outra.

Roteiro em Galápagos

Passeios diários te levarão aos melhores locais perto de cada ilha base, mas com distâncias limitadas devido às restrições do parque nacional. Você não visita ilhas tão remotas como nos cruzeiros, mas posso garantir que é também fabuloso. Eu fiz vários day tours e consegui conhecer as famosas ilhas de North Seymour, Bartolomé, Los Tuneles, Kicker Rock, entre outras.

Roteiro em Galápagos

As vantagens são, além de ser mais econômico, dar maior flexibilidade para montar seu roteiro em Galápagos, coordenar suas datas de início e itinerários, com liberdade de aproveitar as Ilhas no seu próprio estilo de viagem.

Roteiro em Galápagos

Digo que é mais econômico porque em muitos dias você pode fazer passeios por conta própria sem necessidade de barcos ou guias. Além disso, você interage melhor com a população local, já que em cruzeiros geralmente tem a maioria de funcionários estrangeiros (e a comida que também vem de fora é congelada).

Minha escolha de roteiro

Além das razoes citadas acima, optei pela opção “land based” pois também podia ter oportunidade de estar em contato com a população local (e ajudá-los), experimentar diferentes hotéis e restaurantes locais, sempre com comida fresca. O melhor foi que, desse jeito, consegui encaixar tudo o que eu queria fazer no meu roteiro em Galápagos.

Roteiro em Galápagos

Ah! E as saídas para mergulho se encaixaram também mais facilmente. Sou mergulhadora scuba diving Padi advanced, mas não quis optar exclusivamente por um live aboard na minha primeira vez em Galápagos porque queria experimentar um pouco de tudo. Amei tanto e com certeza vou voltar!

Quantos dias ficar

Olha, eu fiquei 11 noites e achei que poderia ter ficado mais. Minha programação dia a dia está abaixo. Minha sugestão é de 10 dias no mínimo. 7 dias é pouco, mas é melhor que nada. Se precisar de ajuda para montar o seu roteiro, posso ajudar. Consulte-me para saber orçamento.

Roteiro em Galápagos

O que fazer em Galápagos

O arquipélago oferece muitas opções como snorkeling, mergulho diurno e noturno (em alguns pontos é possível o encontro com animais marinhos (lobos marinhos, tartarugas, tubarões, arraias, entre outros), cursos de mergulho, caiaque, surf, trilhas próximas ao mar, montanha ou vulcões (alguns ativos ainda), passeios em bicicleta, cavalgada, birdwatching, navegação pelas baías, cruzeiros, pesca em alto mar, praias (onde é possível ver iguanas marinhas, tartarugas e aves de diversas espécies), centros de criação de tartarugas gigantes, etc. Ufa!! Posso garantir, tem muita coisa para fazer em Galápagos!

+ Fique de olho aqui em todos os meus outros artigos de Galápagos e Equador

Roteiro em Galápagos

Eu dividi meu roteiro em Galápagos da seguinte maneira:

Segue meu roteiro dia a dia:

Roteiro em Galápagos

Qual é a melhor época

Galápagos tem bom tempo para ser visitado durante todo o ano, com prós e contras para cada uma das duas estações.

A mais quente que vai de dezembro a maio é considerada a “estação úmida”. É quando o céu está na maior parte do tempo limpo com sol forte. A temperatura média gira em torno de 26 a 30°C e a água do mar fica com temperatura mais agradável para nadar e mergulhar devido a corrente do “El Niño”. É a época em que se aproveita melhor a viagem, embora seja mais movimentada e mais cara.

Roteiro em Galápagos

A estação seca vai de junho a novembro. É quando os ventos do sul trazem a corrente mais fria de Humboldt para Galápagos. Isso significa que a água do mar fica mais fria, mas com a vantagem de atrair um número maior de espécies marinhas. Se você gosta de mergulhar, a melhor época para visitar é essa. A temperatura média é de 22°C. É comum a chuva fina. Em compensação é mais fácil encontrar e negociar preço de hospedagem e passeios nesse período.

Requisitos de entrada nas Galápagos

No Aeroporto Internacional de Quito, antes do embarque para Galápagos, você vai pagar uma “tarjeta de turismo” no valor de 20 dólares, que é como se fosse o visto de entrada nas ilhas, uma vez que Galápagos tem uma espécie de governo autônomo. Ali também tive que mostrar o exame de PCR Covid negativo (existe uma lista de laboratórios homologados pelo governo) e carteira vacina e inspeção mala, o certificado de vacinação completo e fizeram uma inspeção na mala colocando lacres.

No avião, pouco antes de chegar, todas as regras de convivência e respeito ao meio-ambiente do Parque de Galápagos foram reforçadas. Assim como vários outros lugares pelas ilhas. Todo respeito é pouco.

Chegando em Galápagos pela ilha de Baltra terá que pagar mais uma taxa de entrada no Arquipélago de USD 50 para residentes de países parte do Mercosul ou da Comunidade Andina de Nações, e menores de 12 anos. Demais estrangeiros pagam ou USD 100. Atenção, é super  importante guardar as 2 vias desse comprovante de pagamento pois precisará mostra-lo antes de pegar o voo de volta.

Do lado de fora do aeroporto há um guichê para o pagamento do ônibus “Lobito” no valor de USD 5 que te levará ao um terminal de barco (5 minutos dali) para atravessar o canal Itabaca. A Ilha Santa Cruz está do outro lado. O barco custa USD 1 e é pago dentro do barco. As malas são retiradas do ônibus e colocadas no barco sem sua interferência.

Chegando em Santa Cruz peguei um taxi (caminhonetes brancas) por USD 25. É um longo trajeto até Puerto Ayora, são 40km de distância que dá perto de 40 minutos de viagem. Existe opção de ônibus por USD 5.

Galápagos em tempos de COVID

As autoridades locais e toda a comunidade que depende do turismo estão envidando todos os esforços para criar um ambiente seguro para moradores e visitantes, seguindo todos os protocolos rigorosamente.

Eu viajei em dezembro 2021 e cumpri os seguintes requisitos:

  • Teste PCR negativo com data de exame de 3 dias antes de embarcar no voo
  • Comprovante de vacinação completa (ao menos duas doses com mais de 14 dias da ultima)
  • Comprovante de seguro de viagem, incluindo cobertura médica para COVID-19 – compre aqui no link do blog.
  • Prova de itinerário e hotéis confirmados nas ilhas (reserve aqui no blog)
  • Não apresentar qualquer sintomas de COVID na chegada

Obs: Cheque todas as medidas antes da sua viagem, as regras estão mudando muito.

Espero que tenha gostado das minhas dicas de roteiro à Galápagos. Se tiver qualquer dúvida, deixe um comentário abaixo. Terei prazer em ajudar!

Obrigada pela visita, volte sempre!

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

2 comentários até agora!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.