O Brasil esconde tantos encantos, não é mesmo? Recentemente tive o prazer de descobrir o roteiro “Caminhos de Pedra” que fica em Bento Gonçalves no Rio Grande do Sul. A rota, que tem 12 km, busca manter viva a história e o patrimônio cultural dos primeiros imigrantes italianos que chegaram ali por volta de 1875 em busca de melhores condições de vida.

Caminhos de Pedra

A rota Caminhos de Pedra

Além da possibilidade de ver de perto a preservação do acervo arquitetônico histórico, que reúne casas feitas de pedras e madeira do século XVIII, a rota é cheia de atrativos que inclui uma lista de ótimos restaurantes e propriedades que recebem visitantes, mostrando como viviam as famílias quando chegaram à região. Cada casa tem um tema que inclui obviamente as uvas e os vinhos, variedades de queijos, tomates, erva-mate, tecelagem e massas. Nesse artigo deixo minhas sugestões de lugares para vocês conhecerem, incluindo dicas de restaurantes e hospedagem. Bora conferir?

Caminhos de Pedra

Como explorar a rota Caminhos de Pedras

A melhor forma de conhecer o Caminhos de Pedras é de carro. Se você vem de outro estado, alugue um carro no aeroporto de Porto Alegre. Faça uma cotação na RentCars para o aluguel através desse link aqui. Utilizando os links do blog, nós recebemos uma pequena comissão, paga o mesmo preço e ainda ajuda na manutenção do site.

Caminhos de Pedra

Do aeroporto de Porto Alegre até a Rota Caminhos de Pedra são 120 km que são percorridos em menos de 2 horas. A flexibilidade do carro vai te proporcionar degustar a região apelidada de Toscana Brasileira com calma. São tantas atrações que um dia seria pouco, reserve ao menos dois dias para conseguir visitar as principais atrações.  Um final de semana por ali é perfeito.

Caminhos de Pedra

Alias, com dois dias dá até para ir um pouco além dali. Eu aproveitei e reservei uma tarde para conhecer Pinto Bandeira, que fica bem perto e é uma região famosa pela produção dos melhores espumantes do Brasil. Tive a oportunidade de visitar a Cave Geisse e almoçar no Champenoise Bistrô. Dali também é possível conhecer o Vale dos Vinhedos e Bento Gonçalves.

Onde ir e o que visitar

Além da boa gastronomia, a rota oferece visitas e vivencias em propriedades que resgatam a herança cultural deixada pelos imigrantes com atividades artesanais, tecelagem, culinária, plantio e pastoreio. Não deixe de visitar a Casa da Ovelha, a Casa do Tomate, a Casa de massas, o moinho de fabricação de erva mate, a Casa da Tecelagem, a Salumeria, Casa das Cucas, além das vinícolas da região.

Amei a visita à Casa da Ovelha. Dá para passar boas horas lá se entretendo com as atividades que incluem amamentar ovelhinhas recem-nascidas, ver como é feita a tosquia e o pastoreio com cães Border Collie. Lá também é possível assistir o treinamento de falcões. Cobram ingresso mas não é necessário agendar com antecedência. Ah, e no final, passe na lojinha que vende iogurtes maravilhosos e queijos pecorinos fabricados na própria fazenda.

Com a “Tinha”, a Border Collie que pastoreia o rebanho de ovelhas.

Outro bom local para entrar na história da cultura italiana é a Casa do Tomate. Lá eles montaram um pequeno museu que conta um pouco do passado e dos costumes dos imigrantes. Além do Restaurante Del Pomodoro, tem uma lojinha com diversos produtos feitos à base de tomate desde molhos, sucos, geleias, compotas e até um refrigerante de tomate que era originalmente produzido pelos primeiros imigrantes.

Caminhos de Pedra

Outra parada bacana é na Casa da Erva-Mate que possui um moinho construído em 1884. Lá é feita a demonstração do processo de produção artesanal do chimarrão, a bebida típica dos gaúchos.

Caminhos de Pedra

Restaurantes no Caminhos de Pedra

Boa gastronomia e vinhos são duas coisas que estão garantidas nesse roteiro. No Caminhos de Pedra existem várias as opções que vão desde cantinas coloniais até restaurantes mais sofisticados. Eu amei a experiencia no Champenoise Bistrô que fica em Pinto Bandeira e tem o conceito slow food. Lá você escolhe opções de 5 ou 7 tempos. Faça a reserva com antecedência por esse site aqui. O bistrô só funciona de quinta à domingo e somente para almoço. 

Voltando à Rota Caminhos de Pedra, aposte no restaurante gourmet Casa Vanni, que fica nos fundos da Garbo Enologia Criativa, um Wine Bar com rótulos elaborados por três jovens enólogos mas que também oferece outros rótulos da região. Recomendo fazer reserva também. As mesas ao ar livre são puro charme.

Caminhos de Pedra
Caminhos de Pedra

Pertinho da Pousada onde fiquei, já falo dela mais abaixo, fica o Locanda de Lucca. Nao cheguei a experimentá-lo mas me foi muito bem recomendado.

Caminhos de Pedra

Onde se hospedar

Nada melhor do que se hospedar numa legítima e histórica casa da região, já que foram elas que deram nome e fama à região. Me hospedei na charmosa Pousada Cantelli que é uma autêntica casa de pedras construída em 1878.

Pousada Cantelli

A casa pertence à família Cantelli desde 1977 que a preservou e transformou-a numa Pousada com auxílio do Roteiro Caminhos de Pedra, uma das primeiras opções de hospedagem na rota.

São apenas três quartos. Se possível tente reservar o sótão da casa que inclui um quarto, banheiro e uma sala de TV. A decoração é rustica, mas tem todo conforto. Os quartos têm ar-condicionado, aquecimento, TV a cabo e banheiro com ducha a gás.

O café da manhã da Pousada Cantelli é servido numa casa ao lado da casa de pedra, onde funciona também um restaurante. Super completo e preparado com carinho, inclui pães, frios, frutas, iogurtes, cereais e suco de uva integral à vontade! Servem tambem bolinhos, docinhos e opções de ovos.

Nao deixe de reserva seu hotel usando o link do Booking do blog. Você paga o mesmo preço e ajuda na manutenção do site. Clique aqui para reservar.

Espero que tenham gostado das minhas dicas do Roteiro Caminhos de Pedra. Em caso de duvidas, deixe aqui abaixo um comentário.

Obrigada pela visita e volte sempre! 🙂

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *