Bolívia

Viajar pela Bolívia, cruzar o incrível Salar de Uyuni e todo o Altiplano Boliviano até a divisa com o Chile é uma experiência pra vida! Além de babar com as lindas paisagens repletas de montanhas nevadas, vulcões, lagoas coloridas, piscinas termais e animais como flamingos e lhamas, essa é uma viagem super aventureira. Veja nesse artigo como foi o meu roteiro na Bolívia em 3 dias e 2 noites.

Roteiro na Bolívia em 3 dias

Imagina sair num carro cheio de gente, viajando por 3 dias no meio do deserto, passar frio, ficar sem tomar banho, dormir em abrigos compartilhados, sentir frio pacas, passar mal com a altitude, comer comida fria e requentada, não ter sinal de internet… e o carro quebrar! Posso dar uma dica? Vá preparado pro perrengue, não espere conforto. Mas não deixe de ir! A Bolívia é maravilhosa e sensacional. Bolívia

Bolívia

Quais aso as opções de roteiro

Existem tours de 1 dia, de 2 dias e de 3. Acima de 3 dias normalmente inclui a travessia para San Pedro do Atacama, no Chile (ou vice-versa). Neste post relatarei sobre meu roteiro na Bolivia de 3 dias e 2 noites, saindo de Uyuni e retornando para o mesmo ponto, que é um “passeio” dos mais procurados.

Optei por sair e voltar para o Uyuni pois, além de já conhecer o Atacama, queria aproveitar para conhecer outros pontos da Bolívia. E voltando para lá foi possível completar meu roteiro pela Bolívia que incluía passar um dia a mais no Salar, conhecer o Lago Titicaca (em breve um post) e descer o downhill da Ruta de la Muerte de bike.

+ Quer saber mais sobre o Salar de Uyuni? Clica aqui.

Quem ainda não conhece o Atacama, deve considerar começar sua viagem na Bolívia e terminar no Chile (ou vice-versa) pois é uma viagem bem menos cansativa do que a minha, que começou e terminou no mesmo ponto (a maior parte do terceiro dia é dedicado ao retorno).

Bolívia

Como escolher a sua agência

Existem várias agências que fazem essa viagem, quase sempre com o mesmo formato e com roteiro muito parecido.

Pesquisei bastante nos blogs e ficamos entre duas agências, a Red Planet e a Quéchua. Fato é que, por mais que você escolha uma entre as melhores, ainda assim não estará livre de todos os perrengues… Você está indo pro deserto, pra Bolívia! Os lugares que você passará realmente não tem muito estrutura, mas o visual compensa!

Bolívia

Optamos pela Red Planet que tem um preço um pouco mais alto (210 dólares para os 3 dias com quase tudo incluso). Fizemos a reserva de nossas vagas por email sem pagamento adiantado. Praticamente tudo estava incluso no “pacote”: transportes, hospedagem, refeições, guias, etc. Não tenho nenhuma reclamação da Red Planet, nem mesmo o probleminha que deu em dos carros… (pois não tomou muito tempo para ser consertado).

O carro 4×4 estava em bom estado e levava 6 pessoas + o motorista. A viagem vai em comboio de no minimo 2 carros por uma questão de segurança, justamente para o caso de um dos carros quebrar.

Bolívia

Se a sua opção for sair do Atacama para o Uyuni, na Bolívia, veja a agência Cordilheira que foi muito bem recomendada pela Stella que viajou comigo. Pra mim não rolou porque eles não fazem partidas do Uyuni, somente do Atacama.

Conte com a sorte!

Ainda assim, se a agência for boa, com um guia legal, carro bom, reze pra pegar um grupo legal também. Afinal você vai passar 3 dias inteiros (boa parte dentro do carro) com eles. Se você souber exatamente o que está comprando não vai ficar frustrado depois. Vá preparado pro perrengue, e no final, você nem vai achar que foi tanto (como eu)!

Entenda que, escolhendo uma agência mais econômica, você pode arriscar pegar carros em mau estado de manutenção, os piores albergues de sal, comida ruim, etc.

Bolívia

O que está incluso no tour?

  • Todos os transportes
  • Todas as refeições
  • Duas noites de alojamento (explico melhor isso abaixo)
  • sacos de dormir
  • Guia com inglês fluente
  • Equipamento de oxigénio
  • Comunicação por satélite para emergências
  • Pick up gratuito da estação de ônibus

 O que não está incluso?

  • 30 bs para a ilha de peixes
  • 150 bs para parque nacional
  • 6 bs para a piscina segunda noite do dia
  • Pick Up do aeroporto 15 bs por pessoa

Primeiro dia

A maioria das agencias inicia a viagem por volta das 11hs, depois que as pessoas chegam no voo vindo de La Paz, capital da Bolívia.

Cemitério de trens

A primeira parada foi no cemitério de trens, que fica bem próximo a cidade de Uyuni. Ali estão as primeiras locomotivas da Bolívia, da época do grande boom da extração de minérios na região de Potosí. Quando os minérios ficaram escassos, entre as décadas de 1920 e 1930, os vagões foram abandonados ali e hoje estão dispostos como num museu a céu aberto.

Bolívia

Bolívia

Bolívia

Bolívia

Na sequência visitamos uma pequena comunidade Colchani onde ficam várias oficinas artesanais que produzem o sal ainda de maneira bem rústica. Ali também tem uma feirinha de artesanatos com aqueles artigos da estampa colorida, típicas da região. Eu que não sou consumista fiz a festa com presentinhos pois os preços são bons (e mais importante: a gente ajuda a população local que vive disso).

Bolívia

Bolívia

Bolívia

Bolívia

Salar de Uyuni

Almoçamos ali na vila antes de partir para o tão esperado Salar de Uyuni! Foi quase uma miragem ver o salar alagado, onde terra e céu se encontram. Passamos toda a tarde ali naquela imensidão, tirando fotos e curtindo o visual. Paramos em diversos pontos, tentando pegar a parte alagada e a parte seca.

O Salar de Uyuni é tão especial que eu fiz um post especifico para ele. Veja aqui.

Infelizmente não pudemos conhecer a ilha de Inca Wasy, onde estão os cactos gigantes por conta da chuva.

Bolívia

Bolívia

Como e onde foi o pernoite

Seguimos viagem por paisagens lindas e dormimos na vila Atulcha num albergue de sal com quartos privados (casal ou 2 camas de solteiro) e com banheiro privado também. Algumas pessoas conseguiram água quente, mas eu não!

Esse é o dia para recarregar todas as baterias de celulares e câmeras, pois o dia seguinte será longo e à noite provavelmente o albergue não vai liberar tomada (confirmar com sua agência).

Bolívia

Bolívia

Bolívia

Assim que chegamos já havia uma mesa pronta com café, chá e biscoitos e mais tarde o jantar com comida local. Nesta hora, além do bate-papo com a galera dos carros, rola um briefing para o dia seguinte e interação entre os aventureiros dos dois carros. Importante não esquecer absolutamente nada no hostel pois não é possível voltar pra pegar (nem que seja seu Iphone!).

Dica: Se o tempo estiver ruim, não leve seu saco de dormir no bagageiro do carro porque pode molhar, mesmo com lona plástica. Afinal estávamos viajando na temporada de chuvas.

Segundo dia

O dia começou cedo, por volta das 7h am.

Passamos pelo deserto de Chiguana, cercado por muitos vulcões, rumo às lagoas andinas.

Bolívia

Bolívia

Bolívia

Passamos para conhecer a famosa árvore rochosa “Árbol de Piedra”. Uma obra da natureza que foi naturalmente formada com o vento. Parece até ter sido esculpida pelo homem de tão perfeita. Uma pena que estava muito frio e o tempo bem fechado.
Bolívia

Reserva Nacional Eduardo Abaroa

Dali partimos para a Reserva Nacional Eduardo Abaroa, que abriga a laguna colorada e uma grande infinidade de flamingos. A laguna tem uma coloração rosa pelas algas que estão na água e que servem de alimento para os flamingos que adquirem a mesma coloração. Tudo rosa, mal dá para ver a grande quantidade de flamingos na foto.

Na entrada do parque está um posto de validação do ingresso para visitação da Laguna (150 bolivianos), que é comprado ali mesmo. Como em Machu Picchu você pode carimbar seu passaporte ali.

Bolívia

Bolívia

O mal de altitude

Seguindo viagem ainda mais alto e mais ao sul passamos pelo grande deserto de Siloli a 4550 metros de altitude. Estava muito frio e por conta da altitude comecei a sentir fortes dores de cabeça. O guia Augusto deu atenção, me passou folhas de coca para mascar e até 4 minutos de oxigênio para respirar. Passei um perrengue ali e só melhorei no dia seguinte. O assunto é tão sério que eu vou escrever um post especifico sobre os problemas do mal de atitude na região.

Bolívia

Tivemos problema com um dos carros (que foi solucionado em pouco mais de 30 minutos) mas que ocasionou chegarmos nos gêiseres Sol de Mañana à noite… Estava muito frio realmente, minha dor de cabeça ainda era muito forte e como já tinha visto o Geyseres El Tatio no atacama não quis descer do carro à noite. Era o ponto mais alto da viagem, 5 mil metros acima do nivel do mar. Minha dor de cabeça estava no limite do suportável…

Estávamos no topo da cratera de um vulcão, onde supostamente era possível escutar o barulho de um vulcão ativo. Mas estava escuro demais, e com a dor de cabeça não vi nada. Essa parte deu ruim…

Pernoite

A segunda noite foi num alojamento bem mais rustico (já era esperado), com dormitórios compartilhados entre 4 a 5 pessoas. O gerador só funciona por 2 horas. Chegamos lá novamente havia café quente, ou chocolate e depois o jantar.  Para os corajosos ainda há a opção de cair nas fontes termais a 150 metros do abrigo. Uma piscina vulcânica com águas a 35 Cº.  O café da manhã do terceiro dia foi melhor que o outro, tinha até panquecas.

Terceiro dia

O dia começou ainda mais cedo, às 6:00 da manhã, passando pelo deserto Salvador Dali, onde supostamente o surrealista se inspirou para pintar o seu famoso quadro “A persistência da memória”. A segunda parada foi na Laguna Verde, de onde se pode ver o Vulcão Licancabur a quase 6 mil metros de altura. 

Bolívia

Bolívia

Bolívia

Bolívia

Bolívia

Terceira parada do dia foi na fronteira com o Chile onde alguns dos viajantes seguem caminho para San Pedro do Atacama. E os que voltam para Uyuni tem viagem de 7 horas pela frente, chegando por lá no inicio da noite.

 O que levar pra Bolívia?

  • toalha para banho (que tal aquela toalha levinha de rápida absorção?)
  • chinelo para usar na hora do banho e nas fontes termais
  • roupa de cama limpa (tem roupa de cama e travesseiros, mas a qualidade da limpeza é duvidosa) – Levar uma fronha
  • Snacks e lanchinhos para o carro
  • Agua extra – no tour só inclui a bebida durante as refeições
  • papel higiênico (vaso sanitário sem descarga, ou seja, pegue o balde, encha de água e jogue no vaso)
  • Dinheiro em bolivianos para as entradas dos parques e banheiros
  • carregadores extras
  • roupas de banho (para as fontes de aguas termais)
  • roupas de frio mesmo no verão incluindo luvas, toucas, meias grossas. O melhor calçado é a bota de trekking.
  • protetor labial e protetor solar, cremes hidratantes e rinosoro
  • lenços umedecidos para um banho de gato (no caso da agua estar gelada)
  • se tiver, leve seu saco de dormir – um reforço se não houver coberta no abrigo suficiente, além de mais higienizado. À noite a temperatura cai e chega facilmente ao negativo.
  • soroche pills, Folha de coca, balas de coca
  • dinheiro para dar de tip para o guia e para o motorista (se eles merecerem).

Independente das dificuldades, as lindas paisagens vão fazer deste um passeio bem impressionante. Vá sem muitas expectativas de conforto e com o espírito preparado para negociar com o guia e o grupo. Sem muitas exigências e com flexibilidade dá para aproveitar bastante!

Bolívia

Bolívia

Continue lendo:

+ Isla del Sol, o lugar mítico dos Incas

+ Copacabana e o Lago Titicaca na Bolívia

+ Salar de Uyuni, um dos lugares mais lindos do mundo!

+ Aventure-se de bike pela Estrada da Morte

+ Mochilão pela América do Sul

Gostou do post? Tem alguma dúvida? Deixa um comentário aqui!

Um beijo e até o próximo post!

Viagens e Outras Historias

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *