Angkor Camboja

Angkor está no coração e na alma do Camboja. Esse post conta brevemente a história de Angkor para que vocês possam ter um pouco mais de informação durante sua viagem. Gosto muito de estudar os locais por onde viajo… acho que a viagem fica mais rica! Além desse post, pretendo escrever + dois outros artigos, dando dicas de como explorar os templos e sobre a cidade de Siem Reap. Aguardem!

História de Angkor

Então vamos lá! O Complexo Angkor abriga uma das mais deslumbrantes construções que já vi na vida, além de ser um sítio arqueológico de grande importância para a história mundial. Mais de mil templos foram construídos seguindo ideias religiosas e políticas adaptadas do hinduísmo da Índia, com o intuito de ser um local para o culto de divindades hindus e garantir ao rei sua imortalidade. Hoje é o lugar mais visitado do país e um grande motivo de orgulho para os cambojanos.

Angkor Camboja

Angkor Camboja

Angkor Camboja

Localizado no Sudoeste da antiga Indochina, bem no meio da selva do Camboja, Angkor foi a última capital do império Khmer e a mais duradoura também. Resistiu a invasões e conflitos por cerca de seis séculos! Esse império chegou a dominar quase todo Sudeste Asiático entre os séculos 9 e 12. Sua população chegou perto de quase um milhão de habitantes!

Linha do Tempo

Tudo começou quando Yasovarman I fundou Angkor Thom, à beira do Rio Siem Reap, no fim do século 9. Para se ter noção da sua grandiosidade, àquela época nenhum país da Europa tinha castelos ou templos que chegassem aos pés de Angkor.

Angkor Camboja

Embora suas construções tenham sido identificadas por historiadores ao longo da linha do tempo, elas variam muito de estilo porque, além de estarem misturadas entre si, foram destruídas e reconstruídas. Se para eles já é difícil às vezes identificar a ordem cronológica e os estilos arquitetônicos, imagina pra gente!

Em seu apogeu, o Império Khmer incluiu, além do Camboja, partes da Tailândia, da antiga Birmânia, da Malásia, Vietnã e Laos. Infelizmente, invasores dos reinos ao redor destruíram grandes partes do complexo no século 12. E já no século 14 começou o declínio…

Angkor Camboja
Angkor Camboja

O complexo Angkor

“Angkor” significa cidade sagrada e “wat” significa templo.

É importante entender que “Angkor Thom” é todo o complexo, a grande cidade. E “Angkor Wat”, é o principal templo, que fica dentro desse complexo. Há centenas de outros templos! Explorei a região por 3 dias, conhecendo os principais templos (que conto num outro post). Creio que se você quiser conhecer tudo, poderia levaria mais de 1 semana.

 Angkor Camboja

Hinduísmo x Budismo

Angkor é o maior complexo religioso do mundo e foi influenciado por duas religiões, o Budismo e o Hinduísmo. As duas religiões atualmente convivem pacificamente, embora durante muitos séculos disputaram o poder da região.

O hinduísmo foi quem inicialmente esculpiu a arte e a cultura da região. O próprio Angkor wat, o principal templo, foi construído como um santuário hinduísta dedicado a Vishnu, o Deus Hindu responsável pela manutenção do Universo.

A arquitetura é rica em detalhes e elementos das duas religiões, como vocês vão certamente ver num grande número de estátuas e esculturas. Além disso vão ver muitas imagens de Buda quebrados e sem cabeça. Outros foram transformados em Shiva, um dos deuses da trindade hinduísta.

Foi no reino de Jayavarman VII, entre 1181 e 1215, que o budismo foi instituído como religião oficial, quebrando quase 4 séculos de tradição hinduísta. De fato, o pais teve seu período mais próspero nessa época, e com morte dele, tudo começou a ruir. Ainda hoje o Budismo é predominante na região. Mesmo com 95% da população budista, a população ainda pode preservar sua fé hindu.

 Angkor Camboja

Angkor Camboja

Instagram

Decadência do reino

Há um grande mistério na história de Angkor foi deixado pela civilização Khmer: o motivo da sua queda abrupta em 1432. Até hoje não se sabe ao certo sua verdadeira causa. Sabe-se que o exército tailandês dominou Angkor Thom em 1431, quando o rei cambojano fugiu para o sul do país, e quando a capital mudou pra Phnom Penh.

Muitos historiadores tentam entender os motivos desse inesperado fim, quando milhares de templos hinduístas e budistas foram abandonados.

Angkor Camboja

Uma das suposições aponta para a escassez de água, mesmo com as chuvas das monções. A água era importante para irrigar os milhares de campos de arroz necessários para alimentar toda a população. Outra teoria sustenta justamente o oposto, que uma série de inundações do rio Mekong teria devastado os cultivos e forçado um gigantesco êxodo. Um ataque de um reino vizinho também é possível. Considera-se que tenham utilizado a estratégia de destruir diques e reservatórios de água para desestruturar a população. O interessante é que, em todas as hipóteses, a água, faltando ou abundando, parece ter sido a força motriz que pode ter destruído todo o complexo.

Com o abandono, associado às condições climáticas do sudeste asiático, uma vegetação monstruosa começou a crescer sobre os templos. É monumental o tamanho das árvores que crescem sobre as paredes! Talvez sejam elas as responsáveis por sustentar até hoje tantas ruínas em bom estado de conservação.

Angkor Camboja

Angkor Camboja

Re-descobrimento?

Angkor foi visitado por vários exploradores e missionários entre os séculos XVI e XIX, mas foi o francês Henri Mouhot que ganhou fama por “descobri-la” em 1858. Ele disse que as construções eram “mais grandiosas do que qualquer uma deixada pela Grécia ou por Roma”. E que Angkor Wat era tão lindo quanto “o Templo de Salomão e desenhado por algum antigo Michelangelo”.

Vários organismos internacionais trabalham há décadas para reconstruir o complexo de Angkor. As reconstruções são indispensáveis, principalmente para preservar esse grande patrimônio da humanidade e manter os templos com mais de oito séculos de idade em pé.

Gostou de saber sobre a História de Angkor? Tem mais posts vindo aí!

Continue lendo:

+ Onde ficar em Siem Reap

+ Aula de culinária em Siem Reap

Tá indo para a Asia? Dá uma olhada nesses posts aqui.

Viagens e Outras Historias

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *