Barra Grande do Piauí é um vilarejo de pescadores que resiste e permanece rústico e tranquilo, devido à sua localização, afastado das grandes cidades. Suas ruas ainda são de areia, o céu por lá está sempre estrelado, a temperatura do mar é sempre morninha e o vento constante e forte. Muitos dizem que Barra Grande é a Jeri de 20 anos atrás.

Aliás, é por causa dos ventos que Barra Grande entrou pra rota do kitesurf, sendo considerado um dos melhores points do mundo para a prática do esporte. Lugar de apaixonados pela natureza, um destino para quem quer curtir dias ensolarados numa vibe relax e simples.

Como chegar em Barra Grande do Piauí

Barra Grande do Piauí pertence ao município de Cajueiro da Praia. O aeroporto mais próximo é o de Parnaíba, a 70 quilômetros de Barra Grande. Distante das capitais, fica a 380 quilômetros de Teresina e aprox 480 km de São Luís ou Fortaleza.

Jericoacoara fica distante uns 170 kms de BG. Dessa forma optei por chegar pelo aeroporto de Jeri, que tem mais oferta de voos, e de lá vir passeando pelo litoral do Ceará até chegar em Barra Grande do Piauí.

O trajeto até BG custou R$ 800,00 com motorista privado numa Hilux 4×4 para até 4 pessoas. Fechei com o Derik que também faz passeios em Jeri. Esse valor, que nos rendeu o dia quase inteiro passeando por um trecho da Rota das Emoções, valeu ainda como transfer entre as duas cidades. O preço é um pouco puxado mas pra um tour privativo naquele lugar paradisíaco…. Valeu!

Voltei pro RJ via Parnaíba num voo da Azul, com conexão em Campinas. A viagem de BG à Parnaíba dura em média 1 hora, e ainda deu pra fazer o passeio pelo Delta antes de embarcar de volta para o Rio. De BG à Parnaíba, voltamos com um motorista indicado da pousada.

Quem se interessar pelo passeio da Rota das Emoções inteiro, indico o tour do meu amigo Maurício Aventureiros. Clica nesse link aqui para ver mais detalhes.

Quando ir e quanto tempo ficar

Faz sol e calor o ano todo em Barra Grande do Piauí. Os meses mais chuvosos vão de fevereiro a maio, mesmo assim as chuvas são esparsas e o calor permanece na casa dos 25 graus.

A alta temporada de kitesurf começa em julho, quando os primeiros ventos começam a chegar, e vai até dezembro. Os ventos mais fortes (acima de 25 nós) sopram entre setembro a novembro. Nessa época a vila fica bem movimentada, com bastante gente do mundo inteiro, e música ao vivo nos bares e restaurantes. Quando os ventos começam a ficar mais fracos, começa a época dos caiaques e pranchas de stand up paddle. 😉

Para quem quiser combinar Barra Grande com os Lençóis Maranhenses, recomendo ir em julho ou agosto, quando as lagoas estarão mais cheias.

Réveillon em Barra Grande

Se você não gosta de agito, evite o final do ano. O réveillon por lá tem ficado bem concorrido, e a tranquila Barra Grande se transforma em um dos locais mais badalados do nordeste.

E quanto tempo ficar por lá? Bom, pra curtir Barra Grande do Piauí sem pressa, recomendo desacelerar, e pra isso… cada pessoa tem seu tempo certo. Nós ficamos três dias, gostaríamos de ter ficado mais… Deu pra curtir bem, sentir a vibe local, e de quebra ainda conhecer o Delta do Parnaíba. Agora se você pretende praticar kitesurf, aí sim, precisa separar mais tempo!

O que fazer em Barra Grande

Ficar em um bangalô pé na areia

Apesar de pequena, Barra Grande oferece muitas opções de hospedagem para diferentes tipos de orçamentos. Se puder opte por um bangalô com o pé na areia, uma pousada que você possa descansar e curtir a praia. Nós escolhemos a Pousada BGK que tem vários bangalôs de frente ao mar.

A decoração é rustica, com materiais que priorizam os elementos da natureza, como palha, bambu e areia. Dessa forma a conexão com o lugar é garantida.

A pousada tem bar na piscina e na praia, espaço de massagem, de leitura, lounge, boutique e claro uma escola de kitesurfing.

O café da manhã é servido no jardim, com muitas variedades de frutas, pães, sucos e tapioca feita na hora. AMO!

Nas minhas pesquisas, em busca de um lugar perfeito, gostei também da opção da Pousada Manatí, mas acabei optando mesmo pela BGK. Quando for fazer a sua reserva lembre de usar o link do blog para a reserva com o Booking.com, você paga o mesmo preço e ajuda na manutenção do site.

Curtir a praia

Aproveite o sossego da maré baixa, pela manhã, para caminhar na areia e nadar nas lagoas de água salgada que vão se formando ao longo da enseada de Barra Grande. São muitos os locais bons para tomar banho na praia. A parte da manhã é um ótimo horário para ficar boiando dentro da água, sem pensar em nada, quando o mar tem poucas ondas e água está bem morninha.

À medida que a hora vai passado, a paisagem vai mudando com o vai e vem das marés. Do meio do dia pro final da tarde as lagoas se juntam e de repente tudo vira mar novamente. É nesse momento que os kitesurfistas invadem a praia!

Praticar Kitesurfing

Vocês já sabem, o kitesurfing é uma das principais atividades de Barra Grande. Velejadores do mundo inteiro viajam pra lá porque a paria é indicada para praticantes de todos os níveis. Para quem quer aprender é perfeito, Barra Grande tem ótimas condições de ventos que sopram na direção side-on-shore. Isso quer dizer que, no caso de algum acidente com a pipa, o praticante é sempre puxado de volta pra praia, reduzindo os riscos de um problema.

Outra vantagem para os que estão aprendendo tem relação com o vai e vem das marés que acontece por lá. É que, pra nossa sorte, na maré baixa é melhor para começar e treinar, com condições ideais para o inicio do aprendizado.

Alias, fica na Pousada BGK, onde ficamos hospedadas, a primeira escola credenciada pela ABK (Associação Brasileira de Kite). Além de atender aos hóspedes e praticantes frequentes, a escola também oferece aulas para quem quer iniciar a prática do esporte. Basta querer e saber nadar! 😉

Eu já me aventurei em algumas aulas aqui no Rio e pretendo em breve retomar. Mas é bom saber que o kitesurf é um esporte radical, precisa ser bem orientado. O curso básico dura em geral cerca de 10 horas. Com ele já é possível deslizar com a prancha por alguns metros… Para saber mais fala com a BGK nesse link aqui.

Curtir o pôr do sol

O momento mais incrível da viagem! Chegamos lá no final da tarde e fomos direto para a praia para ver o pôr do sol. Olha… que espetáculo!!! Deus do céu! Sem igual, daqueles se vê EM POUCOS LUGARES NO MUNDO. Tanta beleza que é quase inacreditável. Eram tantas cores no horizonte…

Agradeci muito sentada apreciando o astro rei sumindo de vista em meio ao vaivém dos kitesurfistas, ziguezagueando entre a areia e o alto mar. Ficou marcado na memória pra sempre. As fotos, vocês sabem, não retratam a beleza real, vocês terão que ir pra ver e crer.

Passeio do Delta do Parnaíba

O Delta do Parnaíba é um programa imperdível para quem chega até o Piauí. Fizemos um tour numa pequena lancha privativa, que passou por vários canais, mostrando a beleza desse lugar único no Brasil. Passamos por praias de águas doces, dunas, lagoas e rios, um verdadeiro cenário exuberante e natural.

Há opções de passeio pelo Delta do Parnaíba de meio dia ou de um dia inteiro. Para saber mais sobre esse passeio, escrevi um outro artigo específico. Clique aqui para ser redirecionado.

Delicie-se nos restaurantes de Barra Grande

A maioria das pousadas e dos restaurantes de Barra Grande do Piauí ficam na rua de areia paralela à praia chamada Pontal da Barra. Com a chegada de franceses e italianos ao vilarejo é notório a sofisticação do cardápio oferecido nos restaurantes que mesclam temperos locais com influência da cozinha internacional.

Durante o dia curtimos o restaurante da piscina da Pousada BGK (exclusivo aos hospedes) que é uma delícia para comidinhas e bebidinhas.

Também fomos ao Bar da Villa dos Poetas, mas estava bem cheio e não conseguimos sentar. Tente uma reserva antecipada, fica aqui minha dica.

Ao final da tarde o melhor point era o Bar Pé de Vento, também da BGK, esse aberto ao público em geral.

Para jantar indico o Restaurante Mô que é bacana para quem quer experimentar comidas típicas. Ali provamos a Cajuína Cristal, uma bebida feita de caju típica do Nordeste. Fiquei sabendo que, quando produzida no Piauí, ela é mais saborosa, menos doce e mais natural. Prove você também!

Indico também o Manga Rosa que atende bem um jantar despretensioso, com atmosfera gostosa e comidinha caseira. Pra quem procura sofisticação (e pode gastar um pouco mais) reserve o La Cozinha, opção deliciosa que combina a culinária francesa com a brasileira. Servem especialidades de frutos do mar e possuem uns lindos bangalôs (tenho sinceras intenções com eles)!

Outra boa opção é o Bandoleiros, especializados em grelhados e massas, um dos mais tradicionais restaurantes da vila que tem os nomes dos pratos ligados ao Cangaço, como Lampião que mistura carne de sol e catupiry.

A Rota do Cavalo Marinho

A Rota do Cavalo Marinho é um passeio ecológico de canoa pelos manguezais, conhecendo a fauna e flora da região. No passeio é possível ver o encontro dos Rios São Miguel e Carumpim e observar cavalos marinhos, que são retirados da água em um aquário para que os visitantes os vejam de perto. Eles são devolvidos à água no mesmo lugar. Nesse passeio é possível também avistar muitas aves, peixes e caranguejos. Para a preservação ambiental, esses passeios são realizados apenas pela associação BarraTur e todos os guias são nativos da região.

Outras dicas de passeios (que eu não fui)

  • Ir até Lagoinha, um riozinho que se junta com o mar e faz uma lagoa deliciosa. É preciso caminhar cerca de um quilômetro pelas areias de Barra Grande até chegar lá, mas pelo que soube, vale a pena!
  • Pedalar de flat Bike é uma delicia. Essa bicicleta com pneus largos desenvolvida para terrenos instáveis como areia. Com essa bike é possível explorar a praia de ponta a ponta. Eu aluguei uma em Maraú e amei.
  • Cajueiro da Praia é conhecido por ser um dos maiores santuários de peixes-boi do Brasil. A área, protegida pelo IBAMA, permite visitação com embarcações tradicionais, movidas por motores de rabetas. Ao se aproximar do habitat, o motor é desligado para não espantar o animal e esperar que apareça na superfície para respirar. Babau Tour: (86) 98116-6132 ou 98108-5863
  • Rota do fraldão?? Passeio inventado por filhos de pescadores que flutuação pelo rio São Miguel e apreciando a natureza local. O fraldão na verdade é um colete salva-vidas que se veste como se fosse uma fralda e te ajuda a flutuar sem esforço. Há caranguejos, fauna e flora. No caminho eles vão explicando como a coisa aconteceu e vem ajudando a economia local.
  • O Cajueiro Rei está localizado na divisa com o sul do litoral do Ceará. O nome do município é uma referência a um pé de caju que dizem ser ainda maior que o cajueiro da Praia de Pirangi, no Rio Grande do Norte. Imagina que ele 8.810 m²!!  Infelizmente soube que o cajueiro do Piauí, embora maior, está meio abandonado, o acesso é ruim, e existem poucas informações sobre sua exata localização.

Espero que tenham gostado das minhas dicas de viagem sobre Barra Grande do Piauí. Eu amei viajar por lá e contar aqui tudo pra vocês. Se ficar alguma duvida, deixa um comentário abaixo que terei prazer em ajudar.

Obrigada pela visita e volte sempre! <3

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *