Recentemente tivemos o privilégio de nos hospedar na Fazenda Alliança no Vale do Café em Barra do Piraí. Digo privilégio porque, além de ser uma fazenda centenária, e fazer parte da história do ciclo do café no Brasil, a hospedagem é única! Com atendimento super personalizado, alta gastronomia, tivemos a chance de conhecer as plantações e um pouco de agroecologia.

Fazenda Alliança no Vale do Café

A fazenda, que é datada de 1863, foi propriedade do Barão do Rio Bonito que ficou famoso pela altíssima qualidade de seu café no século XIX. Atualmente pertence à Dona Josefina Durini que, após a compra, restaurou a fazenda à sua condição inicial, preservando as características arquitetônicas originais. A fazenda se mantem produtiva e sustentável, com o plantio do café, a criação de búfalas, a horta e os pomares orgânicos. Não é à toa que o lema da fazenda é “Aprender com o passado, vivenciar o presente e construir o futuro”.

Fazenda Alliança no Vale do Café

Convido vocês a continuar lendo e fazer essa viagem incrível pelo Vale do Café!

A história, uma viagem no tempo

Primeiramente quero falar da história, tema que tanto me encanta. Sabia que a Fazenda Alliança é a única da região que ainda mantem o percurso dos grãos intacto desde século XIX? Lá tivemos a chance de entender porque o Barão do Rio Bonito conseguiu produzir um café de altíssima qualidade, inclusive para os padrões da exportação.

Fazenda Alliança no Vale do Café

Só pra você ter ideia o Barão recebeu Medalha de Ouro na Exposição Nacional realizada em 1861, Medalha de Primeira Classe na Exposição Internacional de Londres em 1862, além de receber diversas menções honrosas.

Fazenda Alliança no Vale do Café

Mas preciso contar que a Fazenda Alliança não era a moradia oficial da família do Barão. Ela era destinada ao plantio do café, sendo considerada a fazenda mais produtiva deles. As obras de modernização e melhorias da sede foram terminadas em 1863, incluindo o imponente pórtico de estilo neoclássico na fachada lateral.

Fazenda Alliança no Vale do Café

Na frente da sede estão até hoje os mesmos terreiros de secar o café. Lá perto está a antiga tulha, onde se “entulhava” o produto já processado para envio aos portos de Paraty e Rio de Janeiro. Por ali visitamos também as ruínas da antiga enfermaria e da senzala onde provavelmente passaram mais de 800 escravos. 🙁

Fazenda Alliança no Vale do Café
Fazenda Alliança no Vale do Café

Hospedagem

A sede conta com 8 quartos que recebe até 15 pessoas. Para mim, o mais incrível foi saber que a governança da Fazenda só hospeda um grupo por vez. Ou seja, você pode ter a fazenda só para você e sua família, como foi o nosso caso… <3 UMA EXPERIÊNCIA SUPER EXCLUSIVA!

O serviço da casa é totalmente personalizado, tudo pensado para agradar e surpreender os hóspedes. Fomos recepcionados pelos anfitriões Irene e Bruno, um casal super querido que tornou nossa experiência ainda mais agradável, cuidando de cada detalhe da nossa estadia. A reserva foi feita com a Luisa, super atenciosa também.

Fazenda Alliança no Vale do Café
Fazenda Alliança no Vale do Café

Nos encantamos com o Bruno que é italiano, que preparou o jantar nos presenteou com sua voz. Dá uma olhada nos stories do Instagram @viagenseoutrashistorias que tem uma palhinha dele lá. Alias, todos os empregados da fazenda foram super atenciosos. Deixo aqui nosso muito obrigado!

Fazenda Alliança no Vale do Café
Fazenda Alliança no Vale do Café
Fazenda Alliança no Vale do Café

As suítes são super confortáveis e amplas, com os pés direitos bem altos – como era antigamente. Nosso quarto abria diretamente pro varandão com vista pro terreiro, pra piscina e pro corredor de palmeiras imperiais, visão privilegiada de toda a fazenda, sem dúvida.

Ah, detalhe importante: a água da fazenda é de fonte natural, dá pra beber direto da torneira. Uma delicia!

Fazenda Alliança no Vale do Café

Entre as comodidades da sede, a fazenda ainda dispõe de sala de cinema totalmente equipada, piscina de borda infinita, sauna e oferece alguns passeios como o final de tarde no morro dos carneiros e o mergulho no açude. Então, não esqueçam de levar tênis e roupas adequadas para fazer algumas caminhadas pelas trilhas da fazenda.

Se você não conseguir se hospedar na fazenda, tente ao menos agendar a visita guiada que inclui conhecer a horta, os cafezais, a tulha e a sede.

Gastronomia

Certificada como modelo desde 2011 em Agroecologia, a Fazenda Alliança produz seus próprios alimentos, tudo orgânico. Tivemos a oportunidade de visitar a horta e o pomar de onde saem os legumes e as frutas.

É perceptível a preocupação com a auto sustentabilidade da fazenda e a busca das mais diferentes formas de adubação orgânica para obter o melhor das hortaliças. O que ainda não é produzido na fazenda, vem de produtores locais da própria região.

As bebidas oferecidas na Fazenda são sucos naturais e chás. Provamos um suco de jabuticabas muito bom! Há também uma boa seleção de vinhos e cervejas artesanais.

Amamos experimentar as PANCs (Plantas Alimentícias Não Convencional), uma das marcas gastronômicas da Fazenda Alliança. Provamos, entre outros, flores comestíveis e o peixinho-da-horta que tem o sabor de peixe frito. Incrível! Deu pra perceber o amor deles à terra, produzindo sabores e ingredientes para alimentar os corações de seus hóspedes.

Cada refeição foi servida em um local diferente, culminado com o último almoço organizado, quase um banquete para 4, numa mesa montada dentro da horta. Por lá provamos carne de carneiro, galinha, queijo e leite de búfala, doce de leite de búfala e claro, o café da fazenda. Tudo com aquele frescor do campo.

O plantio de Café na Fazenda Alliança

Como comentei a Fazenda Alliança fez parte do auge do ciclo do café no Brasil e se destacou pela alta qualidade do grão produzido. Reescrevendo essa história, Dona Josefina Durini retomou a produção do café orgânico conseguindo alcançar também a mesma altíssima qualidade. Durante nossa visita tivemos a chance de conhecer todo o processo do Café Durini que passa pelo plantio, colheita, secagem, descasque, seleção, torra e moagem. E ao final, é claro, experimentamos e aprovamos.

A plantação do Café Durini é também orgânica e segue as praticas mais sustentáveis, onde o respeito ao meio ambiente é privilegiado para o sucesso de cada etapa da produção.

O trabalho manual, por exemplo, é preferido ao máximo possível, assim garantem a colheita de somente grãos maduros, além de um processo de seleção rigoroso e livres de agrotóxico.

As Bufálas da Fazenda Alliança

E pra fechar quero contar sobre a criação de búfalas e a produção de leite orgânico de búfala e laticínios da Fazenda Alliança. Só imaginem aquele leite e queijo super hiper fresco, produzido na própria fazenda, servido no café da manhã! Imaginou?! 😉

Bufalas da Fazenda Alliança no Vale do Café

Como todos os outros cuidados, que são destinados à horta e à plantação de café, as búfalas da Fazenda Alliança também são tratadas de maneira especial. Vivem soltas na maior parte do tempo, garantindo aquele bem-estar ao ar livre. Elas amam banhar-se e ali na fazenda que tem sempre um poço pertinho pro banho delas. Fomos a curral e vimos e as bezerrinhas recém-nascidas. Uma graça!

A ração é produzida com capim e sorgo, um cereal originário da África muito utilizado na alimentação animal. Como falei, tudo é plantado na fazenda. É claro que todo esse cuidado e carinho garante a mais alta qualidade na produção de leite, queijos e laticínios.

Sabia que o leite de búfala tem mais nutrientes? Cerca de 10% a mais de proteicos e o dobro de cálcio. Além disso, tem mais minerais como potássio, magnésio, ferro e vitaminas. Só tem a desvantagem de ser um pouco mais calórico que o leite de vaca comum…

A raça das búfalas da Fazenda Alliança é a Murrah. São aproximadamente 130 cabeças que produzem cerca de 200 litros de leite por dia. Se você mora no Rio de Janeiro pode provar o queijo que é distribuído em supermercados da cidade e beneficiado pela Laticínios Vitalatte.

Como chegar na Fazenda Alliança

A Fazenda Alliança fica em Barra do Piraí, no Vale do Café. Pra chegar pegue pela Rodovia Dutra até a entrada para Piraí e siga pela estrada em direção à Valença (RJ145). Chegando no trevo que vai pra Ipiabas e Conservatória, marque 8 km. Exatamente no fim de uma grande descida e a direita você verá um bambuzal e a porteira da Fazenda Alliança Agroecológica. Dali venha pela estrada de terra até a Sede que fica logo após o corredor das palmeiras.

Para reservas entre em contato com o celular/whatsapp: (24) 98807-6146
Reservas e visitação: reservas@fazendaallianca.com.br

Se você curtiu esse artigo deixa um comentário abaixo, e se tiver qualquer duvida também. Terei prazer em ajudar.

Obrigada pela visita e volte sempre!

Escrito por
Publicado em

Deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *